Notícia

G1

Fapeam lança programas de apoio à pesquisa e formação de recursos humanos no AM; recursos chegam a R$ 47 milhões

Publicado em 18 fevereiro 2020

Por G1 AM

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) lançou nesta terça-feira (18) editais e resoluções que somam investimento de R$ 47.937.642,00 neste primeiro semestre de 2020. O aporte vai amparar oito programas para o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&Ï) no Estado, tanto na capital quanto no interior, e aumenta o número de bolsistas de mestrado e doutorado.

Os programas beneficiam estudantes e pesquisadores do Amazonas, e contribuem para o fortalecimento da CT&I, aumento do estoque científico e tecnológico, bem como para o desenvolvimento econômico sustentável e social do estado.

Os recursos fomentados pela Fapeam, por meio dos editais, serão destinados exclusivamente para apoiar atividades de pesquisa nas linhas de ação da Fundação:

  • Formação Sustentável de Recursos Humanos para CT&I
  • Projetos de CT&I
  • Infraestrutura Resiliente para CT&I
  • Popularização e Difusão da CT&I
  • Intercâmbio e Cooperação Interinstitucional, em âmbito Nacional e Internacional.

Programas

Os programas ofertados são ações estratégicas de ciência, tecnologia e inovação (CT&I), alinhadas ao Plano Plurianual (PPA) 2020-2023, às diretrizes da Agenda 2030 Brasil e aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que visam investimentos em áreas de extrema relevância para a humanidade e para o planeta.

Entre eles, o Posgrad, o Painter e o Fapesp-Fapeam. O primeiro, pelo aumento de 49% na oferta de bolsas para estudantes de mestrado e doutorado em relação à edição do ano passado, saltando de 625 para 934 bolsas de estudo concedidas. Os valores variam entre R$ 1,6 mil e R$ 2,4 mil, de acordo com a qualificação do pesquisador, e permitem a dedicação exclusiva à pesquisa.

Já o Painter, que será oferecido pela primeira vez, promove a interiorização de atividades de pesquisa aplicada e inovação tecnológica, por meio de indução em áreas estratégica. Entre elas, a bioeconomia para o desenvolvimento econômico, social e ambiental do Estado, com a finalidade de aplicação de seus resultados no interior.