Notícia

Jornal Folha da Terra (Itupeva, SP) online

Famerp vai estudar os efeitos do novo coronavírus

Publicado em 15 abril 2020

Trabalho do pesquisador Maurício Nogueira está entre 18 aprovados pela Fapesp no estado de São Paulo; objetivo é identificar os aspectos epidemiológicos e marcadores biológicos que indiquem agravamento da doença

A Faculdade de Medicina de Rio Preto – Famerp, por meio de seu Laboratório de Virologia, vai estudar os efeitos da Covid-19 no organismo em busca de marcadores biológicos que indicam o agravamento da doença. A pesquisa é financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

O objetivo do estudo, que terá duração de dois anos, é auxiliar na análise da extensão da propagação viral em residências, comunidades e hospitais, para que medidas de controle sejam tomadas.

A maioria dos pacientes com Covid-19 tem a forma leve da doença, no entanto, aproximadamente 20% desenvolvem doença grave com alta taxa de mortalidade, que está associada a idade avançada, comorbidades e imunossupressão.

A pesquisa, coordenada pelo professor Maurício Lacerda Nogueira, abrangerá a população do bairro Vila Toninho, que já participa de um estudo sobre dengue, e pacientes do Hospital de Base.

Os participantes terão monitorados sintomas relacionados a Covid-19. Um número de telefone para acesso rápido com a equipe será disponibilizado para o caso do surgimento de sinais agudos e, caso necessário, encaminhamento para o serviço de saúde da região.

Também será realizado um monitoramento dos pacientes hospitalizados no Hospital de Base que apresentem suspeita ou confirmação de Covid-19. Amostras serão coletadas para posterior análise de citocinas pró-inflamatórias – possíveis marcadores biológicos que indicam agravamento da doença.

O Estudo faz parte do plano de resposta da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo a emergência de COVID-19. Dezoito projetos foram aprovados até o momento. Os valores que foram aprovados para a Famerp são de aproximadamente R$ 400 mil, segundo o pesquisador. “Esta é mais uma prova da confiança da Fapesp na excelência em pesquisa realizada na Famerp”, disse o virologista.