Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Ciências Médicas apresenta os seus novos espaços

Publicado em 28 maio 2010

Por Luiz Sugimoto

A Faculdade de Ciências Médicas (FCM) promoveu uma profunda readequação dos seus espaços físicos de ensino, pesquisa e administração, inclusive com a finalização de obras iniciadas há mais de 10 anos e que ainda não ofereciam condições de funcionamento. Apesar dos ares renovados pelas reformas e pinturas, as principais transformações da unidade não são visíveis externamente, pois se deram no aspecto funcional. Na verdade, as obras permitiram reunir no mesmo espaço, por exemplo, setores administrativos e laboratórios antes espalhados por outros prédios da unidade, como pôde conferir o reitor Fernando Costa em visita às instalações na quinta-feira (27).

"As obras foram direcionadas principalmente a adequar os espaços de ensino e de pesquisa, além de inúmeras outras visando à reforma dos prédios antigos, que requerem maior cuidado de manutenção. O resultado agradou bastante ao reitor", afirma o professor José Antonio Rocha Gontijo, diretor da FCM. "Organizamos a visita do reitor porque havia instalações que ele não conhecia, embora já estejam funcionando há algum tempo", acrescenta o professor Gil Guerra Júnior, diretor associado.

Os projetos de readequação garantiram espaço para todos os cursos de graduação da FCM, em especial para o novíssimo curso de Farmácia, instituído em conjunto com os Institutos de Biologia e de Química, e que ainda carecia de laboratório para aulas práticas. Outro bom exemplo de readequação foi a saída da Pós-Graduação para seu novo prédio, o que implicou reunir quase todos os setores administrativos no prédio principal. Com base nas informações dos diretores Gontijo e Gil Guerra, percorremos e fotografamos as novas instalações da unidade.

Patologia Clínica e CCI

Próximos ao Departamento de Patologia Clínica foram construídos dois bons laboratórios, um deles específico para o curso de Farmácia e outro multiusuário (aberto aos demais cursos de graduação). Criou-se também uma área para o Centro de Controle de Intoxicações (CCI), que funcionava dentro do Hospital de Clínicas (HC). Esta contiguidade é pertinente porque tanto os alunos da Farmácia, como da Medicina, fazem estágio no CCI - que cumpre papel de ensino importante e não apenas assistencial. Foi constituído um anfiteatro para aulas basicamente de Farmácia e o Paulistinha, antigo anfiteatro, reformado para receber o laboratório que estava no Caism.

Prédio Principal

Com a saída da Pós-Graduação, houve uma grande readequação das instalações do prédio principal da FCM. No térreo, o Centro de Memória, com arquivos deslizantes para guardar a documentação antiga e atual da unidade, também tem uma área de restauro incorporada ao Grupo de Estudos da História das Ciências da Saúde. A entrada e o Espaço das Artes foram reformados e os funcionários tiveram atendida uma antiga reivindicação: um local arejado e adequado para suas refeições, substituindo as pequenas copas que espalhavam o odor da comida pelo prédio.

No primeiro andar, onde estava a Pós-Graduação, sobrou espaço para acomodar toda a área de Graduação, inclusive a secretaria do curso de Farmácia e o Núcleo de Avaliação de Pesquisa e Ensino, o Comitê de Ética, a Câmara de Graduação e a Extensão. Com isso, foram trazidas para o segundo piso as áreas administrativas que ocupavam outros prédios; esse prédios, consequentemente, recuperaram áreas que poderão utilizar para novos laboratórios de pesquisa.

Prédio da Pós-Graduação

É uma das obras iniciadas há 12 anos e que agora foi entregue com móveis e equipamentos, infraestrutura de informática e gerador de eletricidade, tendo consumido investimento substancial. Todas as secretarias dos programas de pós estão centralizadas no novo prédio, que ainda possui um auditório equipado para videoconferências. No segundo pavimento estão apenas as salas de aula e um laboratório de informática exclusivo. Já no último piso, viabilizou-se a ideia original de uma "incubadora de novos pesquisadores" - formada por um laboratório multiusuário cercado por diversos outros laboratórios destinados a recém-doutorados, que ganham um espaço para continuar sua vida acadêmica na FCM.

Treinamento de habilidades

Devido ao acesso cada vez mais difícil dos médicos residentes aos pacientes, inclusive do ponto de vista ético, o treinamento das habilidades tornou-se requisito para a formação dos profissionais. Com esse propósito, a FCM equipou um laboratório com manequins robotizados para os mais variados propósitos, dentro do objetivo de instituir uma área pré-clínica para treinamento em habilidades através de simulação. Sendo problemático para o docente explicar os procedimentos ao aluno durante um atendimento em pronto-socorro, os manequins permitem simular qualquer situação de urgência e emergência. Também será reproduzida uma sala de atendimento dentro do laboratório.

Paulistão e Legolândia

O auditório Paulistão, que apresentava sinais de deterioração, passou por ampla reforma, desde a entrada - de onde se retirou uma sala de docentes - até a parte elétrica. Nos prédios do entorno foram realizados trabalhos de manutenção, limpeza, pintura e impermeabilização de lajes. A Legolândia (conjunto de salas de aula) recebeu equipamentos de ar-condicionado e projetor multimídia próprios, além de telas, computadores e sinalização. O Anfiteatro 1 teve seu piso totalmente refeito.

NMCE e Biotério

O Núcleo de Medicina e Cirurgia Experimental (NMCE) e o Biotério ganharam novas instalações, graças a recursos da Fapesp. No NMCE, um dos núcleos de pesquisa da FCM que ainda funciona em um dos antigos galpões da Universidade, houve pintura e reforma do telhado e da parte elétrica. O Biotério ocupa uma construção nova, bem adequada às atividades de pesquisa com pequenos e médios animais, cumprindo todas as normas exigidas para o uso dos mesmos em laboratório, inclusive quanto a qualidade e bem-estar.