Notícia

Pindavale

Faces da América Latina

Publicado em 18 outubro 2011

Agência FAPESP – Com o objetivo central de tornar públicos os estudos realizados por pesquisadores de diversas áreas sobre temas latino-americanos, o Foro Permanente de Reflexão sobre a América Latina realiza desde 2010 um programa de seminários que terão seu conteúdo sistematicamente registrado em livros.

No dia 10 de outubro, o projeto, vinculado à Cátedra Unesco Memorial da América Latina, lançou três novos títulos: O impacto do microcrédito para a mulher latino-americana, Viagem à América Indígena: do Eldorado à cidade contemporânea e Aids na rota da esperança.

De acordo com a organizadora dos seminários e dos livros, Cremilda Medina, professora titular da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP), a Fundação Memorial da América Latina é um espaço privilegiado para aglutinar a produção de conhecimento e a reflexão multidisciplinar sobre o continente.

“Os seminários são voltados para pesquisadores e estudantes de pós-graduação interessados em metodologia de pesquisa e em temas latino-americanos. O objetivo do projeto é reunir e levar ao público pesquisas de alto nível sobre temas multidisciplinares que, em geral, foram pouco explorados. O apoio do Memorial da América Latina tem sido fundamental para isso, pois, além dos seminários, proporcionou o lançamento da coleção de livros”, disse à Agência FAPESP.

Segundo Medina, cada um dos seminários tem foco em um estudo específico de doutorado ou mestrado, mas procura agregar a contribuição de outros autores. O orientador de cada tese ou dissertação faz a mediação da apresentação do estudo e um pesquisador sênior é convidado como interlocutor para debater o tema.

“Os livros não são propriamente a transcrição do seminário, mas um ensaio produzido para o livro a partir das discussões geradas no debate. Outros autores são convidados oportunamente para colaborar sobre cada tema”, explicou.

Os títulos da coleção têm apresentação de Adolpho José Melfi, diretor do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina, responsável pela Cátedra Unesco Memorial da América Latina e idealizador do Foro, ao lado de Medina.

Os três livros lançados em outubro tiveram como ponto de partida dois estudos de doutorado e um de mestrado defendidos no Programa Integração da América Latina (Prolam) da USP.

“Eles abordam os temas da expansão das políticas de microcrédito, da presença de populações indígenas nas metrópoles latino-americanas e da saúde e a linguagem das campanhas de prevenção da Aids no continente”, disse Medina.

Em O impacto do microcrédito para a mulher latino-americana, Claudia Forte pesquisou, em seu doutorado, a expansão das políticas de microcrédito na América Latina e o caso das mulheres empreendedoras brasileiras e colombianas.

Medina, Ladislau Dowbor, da Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), Márcio Braga, da Faculdade de Economia Administração e Contabilidade da USP, em Ribeirão Preto (SP), Renato Seixas, da Escola de Artes e Ciências Humanas (EACH) da USP, também participam da edição.

“A obra debate até que ponto as políticas de microcrédito beneficiam mulheres empreendedoras de pequenos negócios, suas famílias, suas comunidades e os reflexos na sociedade em geral”, disse Medina.

O livro Viagem à América Indígena: do Eldorado à cidade contemporânea foi resultado da tese de doutorado de Pedro Ortiz, que tratou do tema das populações indígenas em cidades como São Paulo e Santiago do Chile.

“O autor analisa a situação do índio latino-americano deslocado para as grandes cidades e narra as histórias que surgem desse cruzamento entre culturas ancestrais e a vida urbana moderna”, disse Medina.

A obra inclui as contribuições de Medina, Enrique Amayo Zevallos, professor da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), e Edson Capoano, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, que refletem sobre culturas ancestrais nas sociedades contemporâneas. O escritor Sinval Medina contribuiu com um fragmento de romance inspirado no encontro dos primeiros habitantes com os navegadores europeus no século 16.

Proveniente da pesquisa de mestrado de Sônia Geraldes, o livro Aids na rota da esperança aborda a linguagem das campanhas preventivas da Aids. O trabalho levantou, em particular, a situação da mulher mexicana e da mulher brasileira.

“A autora, que é médica, compartilha sua experiência ao lidar com o drama de suas pacientes, lançando uma reflexão sobre a vulnerabilidade feminina à infecção pelo vírus. Ela analisa diferentes estratégias de campanhas e políticas públicas e o papel da comunicação social nesse contexto”, contou Medina.

O estudo de Geraldes é complementado pelos ensaios de Medina, Capoano, José da Rocha Carvalheiro, professor aposentado da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP, e Carlos Sandano, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

A série de seminários teve início com os estudos realizados no Prolam-USP – que foram registrados nos três primeiros livros – e em seguida passou a abarcar estudos realizados em centros de outras universidades que trabalham também com pesquisas voltadas para a América Latina.

“Realizamos quatro seminários em 2010 – sendo que três deles foram registrados em livro – e três seminários no primeiro semestre de 2011. O quarto será realizado em novembro”, disse Medina.

Dois dos seminários de 2011 abordaram o tema dos conflitos de fronteiras na América Latina. Eles tiveram formatos diferenciados, transformando-se em um painel de pesquisadores que trabalham com o tema. “O tema dos embates nas fronteiras latino-americanas tem sido pouco explorado em uma abordagem contemporânea, considerando o contexto geopolítico após 2001”, disse.

Um dos seminários abordou o papel socioeconômico e cultural da chita, tecido que começou a ser levado da Índia para a Europa ainda no século 16 e, presente na Inglaterra durante a Revolução Industrial, passou a ser exportado para a África e América Latina, passando por uma transformação especialmente no Brasil e no México.

O próximo seminário tratará de questões de epistemologia, discutindo os cruzamentos da metodologia da pesquisa científica com o campo da arte. “A discussão tratará das conexões entre racionalidade, emoção e arte pela perspectiva dos estudos culturais. O seminário terá a participação de três doutores: Renato Seixas abordará o tema das relações entre direito e cultura, Dimas Kusch falará sobre filosofia e cognição e Patrícia Patrício falará sobre comunicação e arte”, disse Medina.

O impacto do microcrédito para a mulher latino-americana
Autor: Claudia Fortes
Lançamento: 2011
Preço: R$ 20

Viagem à América Indígena: do Eldorado à cidade contemporânea
Autor: Pedro Ortiz
Lançamento: 2011
Preço: R$ 20

Aids na rota da esperança
Autor: Sônia Geraldes
Lançamento: 2011
Preço: R$ 20

Mais informações: www.memorial.sp.gov.br, ou pelo telefone (11) 3823-4780