Notícia

Gazeta de Piracicaba online

Fábrica de pamonhas

Publicado em 28 janeiro 2009

Tecnologia aplicada:testes dos equipamentos começam em 20 dias no Centro Rural de Tanquinho, afirma Bendassolli

 

A fábrica de pamonhas do Centro Rural de Tanquinho vai iniciar a fase de testes dos equipamentos em 20 dias. A unidade será inaugurada no segundo semestre deste ano, segundo o presidente da entidade, José Albertino Bendassolli. A capacidade de produção será de 6 mil pamonhas por dia. Outra novidade do local será a instalação de uma loja para a comercialização de diversos produtos derivados do milho.

"As pessoas precisavam esperar a Festa do Milho para consumir os produtos do distrito. Na loja da fábrica eles estarão disponíveis o ano todo", afirma

Também serão instalados quiosques para garantir mais conforto para as famílias que visitarem a fábrica. "Queremos receber bem as pessoas e garantir um lugar agradável e adequado para elas poderem consumir os produtos da loja", ressalta.

Na fábrica, as pessoas poderão conferir toda a produção da pamonha. "A área, onde os equipamentos - de costura da palha e cozimento - serão instalados está fechada com vidro. Isso permite a visão de todo o processo de fabricação", revela.

Investimento

A fábrica está com o cronograma atrasado em um ano. Segundo o presidente, a demora foi provocada por causa do custo do projeto. Já foram investidos cerca de R$ 1 milhão na construção do prédio com 400 metros quadrados, no desenvolvimento dos equipamentos e nos testes químicos e físicos feitos pelos alunos do curso de Ciências de Alimentos do Departamento de Agroindústria da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq).

A pesquisa teve início em 2004 e foi concluída em 2008 na universidade. De acordo com Jaqueline Mary Gerage, que participou do projeto, foram estudados nesses quatro anos todos os aspectos da matéria-prima, microbiologia, durabilidade da pamonha (sem conservantes permanece boa para consumo - se mantida sob refrigeração logo após ser feita - por cinco dias) e análise sensorial com provadores aleatórios. "Não usamos profissionais para degustar, como se fossem os consumidores que vão adquirir o produto da fábrica", disse.

Todos os atributos da pamonha que foram analisados na pesquisa feita pela Esalq serão utilizados pela fábrica. "A produção vai seguir os parâmetros definidos nos estudos, como por exemplo, as porções de cada ingrediente para o fluxo de produção", afirma Jaqueline.

De acordo com Bendassolli, além da verba do Centro Rural – obtida com a Festa do Milho –, há aplicação de recursos da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Secretaria Municipal de Agricultura (Sema) e apoio do Sebrae.

Os equipamentos da fábrica foram desenvolvidos por uma empresa especializada exclusivamente para a produção de pamonha. Eles foram utilizados pela Esalq para a elaboração da pesquisa. "São equipamentos que não existiam no mercado. No futuro essa tecnologia poderá ser comercializada para outras cidades que quiserem investir na produção de pamonhas e, por questão de logística, não compensar o envio do produto daqui", prevê Bendassolli.

Neste ano a Festa do Milho de Tanquinho tem início no dia 7 de março e prossegue nos fins de semana até o dia 22 de março.

FRASE

“As pessoas precisam esperar a Festa do Milho para consumir os produtos do distrito de Tanquinho, com a loja da fábrica, eles estarão disponíveis o ano todo”

José Albertino Bendassolli

Presidente do Centro Rural de Tanquinho

NÚMERO

07/03 é a data de abertura da Festa do Milho de Tanquinho deste ano.