Notícia

Jornal Joseense News

Exposição de insetos do Instituto Biológico apresenta abelhas sem ferrão

Publicado em 08 janeiro 2015

A exposição “Planeta Inseto”, do Museu do Instituto Biológico, na capital paulista, conta desde 5 de dezembro com espécimes de quatro espécies de abelhas sem ferrão nativas do Estado de São Paulo, possibilitando que crianças observem os animais de perto e coletem o mel produzido por eles.

O novo espaço, chamado Recanto das Abelhas, abriga oito colmeias das espécies jataí, iraí, mandaçaia e uruçu-amarela e integra a exposição mantida há quatro anos pelo Instituto Biológico, ligado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

O Planeta Inseto conta com outras 24 atrações. Além das abelhas, é possível ver baratas “praticando” corrida, lagartas tecendo fio de seda, formigas trabalhando em um sistema organizado e insetos que se assemelham a gravetos. De forma interativa, o público recebe informações sobre o quanto esses animais estão presentes no cotidiano e sua importância para o ambiente, a produção de alimentos e a saúde humana.

O Instituto Biológico também lançou o livro Planeta Inseto, de autoria de pesquisadores da instituição. A publicação contempla diversas informações sobre entomologia – a ciência que estuda os insetos –, controle biológico e biodiversidade, além de conteúdos sobre a importância dos insetos para a saúde pública e ambiental e suas organizações sociais.

A exposição é certificada pela norma ISO 9001:2008 para divulgação científica e cultural em entomologia e tem autorização de manejo e exposição de insetos emitida pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e pela Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

O museu fica na Rua Dante Pazzanese, nº 64, na Vila Mariana, e é aberto para visitação de terça a domingo, das 9h às 17h. Agendamentos podem ser feitos pelo e-mail planetainseto@biologico.sp.gov.br ou pelo telefone (11) 2613-9500.

Mais informações em www.biologico.sp.gov.br/museu.

Agência FAPESP