Notícia

UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais

Exportações de bens baseados em recursos naturais e ciências sofreram menos com variações das taxas de câmbio e juros nos últimos 12 anos

Publicado em 05 março 2009

Reportagem da Agência Fapesp divulgada nesta quinta-feira, 5, relata estudo de pesquisadores brasileiros em foram analisados "os impactos do câmbio e dos juros na dinâmica do setor exportador em cinco segmentos da economia, de acordo com a intensidade tecnológica: recursos naturais, trabalho, escala, diferenciação e ciência". De acordo com os autores do artigo, intitulado Efeitos do câmbio e juros sobre as exportações da indústria brasileira, os produtos baseados em recursos naturais e ciência sofreram menos com as variações dessas taxas entre 1996 e 2008, período de estabilidade na economia global.

Conforme observa a reportagem, apesar do ganho de participação nas exportações brasileiras dos bens intensivos em ciência durante o período estudado, a importância deles ainda é muito pequena em relação ao total das exportações. "Isso significa que o país se tornou, no decorrer da última década, mais dependente das exportações de bens baseados em recursos naturais devido ao crescimento da demanda mundial naquele momento", diz o professor da UFPR Luciano Nakabashi, um dos autores do artigo.

O estudo foi publicado na revista Economia Contemporânea e está disponível na biblioteca on-line SciELO.