Notícia

CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Evento internacional reúne especialistas em química na Unicamp

Publicado em 17 agosto 2011

Termina amanhã (18), na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) a programação da Escola São Paulo de Ciência Avançada em Química, realizada no âmbito da Escola São Paulo de Ciência Avançada (Espca), modalidade de apoio da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Reunindo uma centena de estudantes de pós-graduação, sendo 50 deles estrangeiros, e 20 dos principais especialistas do mundo em áreas como química medicinal, síntese orgânica e produtos naturais - quatro deles laureados com o Prêmio Nobel -, o evento aberto na segunda-feira (15) é coordenado pela professora Vanderlan Bolzani, da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

De acordo com Ronaldo Pilli, pró-reitor de Pesquisa da Unicamp e membro do comitê científico da escola, o evento dá aos jovens pós-graduandos a chance de conhecer de perto o trabalho de alguns dos principais cientistas da atualidade, além de entrar em contato diário com eles, conhecer mais sobre sua trajetória profissional, saber o que os levou a abraçar a carreira acadêmica e como surgiram as ideias que garantiram o reconhecimento mundial a eles.

De acordo com Glaucius Oliva, presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) e também membro do comitê científico da escola, o evento proporciona aos jovens brasileiros e estrangeiros a oportunidade de interações em longo prazo com grupos do exterior.

"Essa iniciativa da Fapesp de criar esse ciclo de escolas de ciência avançada é fantástica, por reunir jovens cientistas talentosos do Brasil e do exterior a alguns dos principais cientistas de sua área. Não vejo maneira melhor de promover a internacionalização da ciência e gerar pesquisa de impacto", disse. Segundo Oliva, o contato com os cientistas consagrados também é importante para desmistificar a ciência como algo inatingível. "Os estudantes precisam ver que é preciso ter ousadia. E é o que eles viram na palestra da Ada Yonath, por exemplo", disse Oliva, referindo-se à cientista israelense que ganhou o Prêmio Nobel da Química em 2009 pela descoberta da estrutura molecular dos ribossomos.

"Yonath começou a pensar em cristalizar um ribossomo para encontrar sua estrutura quase 30 anos atrás. Por 20 anos, não obteve nenhum resultado positivo. A chance de ela ter desistido no primeiro ano era enorme. Os recursos eram limitados. Não havia apoio, porque ninguém acreditava que seria possível fazer o que ela fez", afirmou Oliva. Segundo ele, enquanto os cientistas sofriam para resolver, com cristalografia, estruturas de proteínas de 20 ou 30 quilodaltons, Ada conseguiu resolver a estrutura dos ribossomos, de 2,5 milhões de daltons.

"É fundamental poder mostrar a esses jovens esse exemplo de tenacidade em ciência, para que eles percebam o que é ser persistente em busca de um sonho", finalizou Oliva.

A Espca em Química tem transmissão ao vivo pela internet em

www.espcachemistry.iqm.unicamp.br/ESPCA .

Assessoria de Comunicação Social do CNPq

comunicacao@cnpq.br

(61) 3211-9414