Notícia

DCI

Evento da Fapesp apoia inovação nas microempresas

Publicado em 12 julho 2012

SÃO PAULO - A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) realizou, em sua própria sede, uma palestra com o tema "Diálogo sobre Apoio à Inovação na Pequena Empresa", com o objetivo de divulgar as três chamadas de propostas lançadas, recentemente, pela entidade para apoiar a realização de pesquisas em microempresas e em empresas de pequeno porte sediadas no Estado de São Paulo, além de esclarecer dúvidas dos interessados em participar das chamadas.

O encontro foi promovido em parceria com a Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei) e com o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).

Já as chamadas do Programa Pipe/Pappe Subvenção Econômica à Pesquisa para Inovação e do Programa Pappe-Pipe III, foram lançadas em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e somam recursos de R$ 45 milhões.

A primeira, com R$ 30 milhões, visa apoiar o desenvolvimento de produtos, processos e serviços inovadores por empresas paulistas, de acordo com as regras do Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (Pipe), em todas as fases do programa.

Enquanto isso, a segunda chamada apoiará as empresas que tenham projetos Pipe Fase II Fapesp concluídos com sucesso ou em fase final de conclusão cujo relatório final já tenha sido encaminhado.

Serão destinados até R$ 15 milhões para financiar as propostas selecionadas.

A terceira chamada é do Programa Pipe, que foi ampliado pela Fapesp. O valor máximo de financiamento para cada projeto na Fase 1 (Análise de Viabilidade Técnico-Científica) passou de R$ 125 mil para R$ 200 mil. Para a Fase 2, de Desenvolvimento da Proposta de Pesquisa, o valor máximo aumentou de R$ 500 mil para R$ 1 milhão.

A entidade reservou até R$ 20 milhões para atendimento às propostas selecionadas na chamada cujo prazo de recebimento termina no dia 10 de agosto.

"Em todas as cadeias produtivas, é indispensável que a inovação ocorra em todos os elos, incluindo os fornecedores e os clientes das grandes empresas, porque só assim é possível adensar tecnologicamente a produção de um País e agregar valor ao longo de todo um setor produtivo", avaliou Carlos Calmanovici, presidente da Anpei.

Fonte: Agência Fapesp