Notícia

JC e-mail

Estudos climáticos na Amazônia

Publicado em 28 dezembro 2006

Inpa e UEA criam Programa de Pós-Graduação em Clima e Ambiente, com a expectativa de formar pesquisadores e garantir autonomia da ciência na região

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) lançaram o Programa de Pós-Graduação em Clima e Ambiente, com o objetivo de se tornar referência nacional na formação de pesquisadores e na produção do conhecimento.
"No Brasil são formados anualmente cerca de 10 mil doutores, sendo que, na Amazônia, esse número não chega a 50. Precisamos investir mais na capacidade de mostrar ao mundo o que nós conhecemos", disse Adalberto Val, diretor do Inpa, que destacou a participação da Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Sect) e da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado do Amazonas (Fapeam) nesse processo.
Lourenço Braga, reitor da UEA, destacou a importância da parceria entre a instituição com o Inpa no novo programa.
"Estou certo de que, nos próximos cinco anos, não seremos mais surpreendidos com cheias, secas e chuvas na Amazônia e também não precisaremos recorrer à literatura estrangeira para compreender melhor a região", disse.
O programa começa com nota 4 na avaliação da Capes. A princípio serão 15 vagas para mestrado e dez para doutorado, com as primeiras turmas ingressando em agosto de 2007. Foram estabelecidas duas áreas de atuação iniciais: física do clima e ecossistemas amazônicos.
Mais informações: www.inpa.gov.br.

(Agência Fapesp, 28/12)