Notícia

TV TEM (São José do Rio Preto, SP)

Estudo vai avaliar variedades de mangueira para cultivo orgânico

Publicado em 24 julho 2006

Por Graziela Delalibera

Serão instaladas 17 variedades na fazenda experimental do Pólo Centro Norte, em Pindorama

O Pólo Regional do Centro Norte da Apta, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, deu início a um estudo que vai avaliar variedades de mangueira para cultivo orgânico na região.
A pesquisa é coordenada pela engenheira agrônoma Juliana Altafin Galli. Segundo ela, o projeto foi aprovado mês passado pela FAPESP e está orçado em R$ 16 mil. Ela explica que a pesquisa partiu de uma demanda de produtores de manga orgânica de Vista Alegre e Itápolis. Eles exportam a polpa da fruta para o mercado europeu. Todo o cultivo é feito utilizando apenas uma variedade, a manga palmer.
A pesquisadora afirma que faltam informações sobre o desempenho de outras variedades cultivadas em sistema orgânico e que é preciso descobrir alternativas à palmer.
Ela afirma que a pesquisa está na fase de preparação do solo. O plantio deve ocorrer entre dezembro e janeiro.
Serão instaladas 17 variedades na fazenda experimental do Pólo Centro Norte, em Pindorama, numa área de 1,12 hectares. No total, serão 275 árvores.
A planta começa a produzir frutos a partir do terceiro ano depois do plantio. Os primeiros resultados deverão ser obtidos em dois anos. "Nos dois primeiros anos já será possível saber quais as variedades mais suscetíveis a doenças."
Segundo a pesquisadora, as principais pragas que atacam as mangueiras são: antraquinose, má formação floral e oídio, além da mosca da fruta.
O estudo terá duração de duas safras consecutivas, para melhor avaliação dos resultados. Para fazer a análise necessária, os frutos maduros serão colhidos de acordo com a época de maturação de cada variedade e avaliados quanto às medidas físicas e composição química. O resultado do estudo deve ser divulgado em 2009.

Doenças atrapalham cultivo
A presença de doenças é um dos problemas do cultivo orgânico da manga na região. No sistema, todo o controle é feito de forma alternativa, sem a utilização de agroquímicos.
A pesquisadora Juliana Altafin Galli explica que em substituição a fungicidas será utilizada calda bordalesa, à base de cobre.
Para o controle de moscas serão feitas armadilhas, assim como no caso das formigas. A empresa certificadora já tirou fotos da área em que o projeto vai ser instalado.
O terreno tinha mangueiras, mas que não recebiam agroquímos, segundo a engenheira agrônoma.
Juliana estima que a certificação deve levar em torno de um ano. Durante o processo, serão feitas vistorias técnicas e coleta de amostras de solo e de plantas.
A pesquisadora diz que a empresa vai verificar se há resíduos de componentes químicos nas amostras.

Estudo sobre mangueiras

Estudo
Vai avaliar variedades de mangueira para cultivo orgânico na região.

Realização
Pólo Regional do Centro Norte da Apta, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

Orçamento
Projeto foi aprovado pela FAPESP e está orçado em R$ 16 mil.

Pesquisa
Está na fase de preparação do solo. O plantio deve ocorrer entre dezembro e janeiro.

Projeto
Serão instaladas 17 variedades na fazenda experimental do Pólo Centro Norte, em Pindorama, numa área de 1,12 hectares. No total, serão 275 árvores.

Resultados
Os primeiros resultados deverão ser obtidos em dois anos.