Notícia

A Tribuna (Santos, SP)

Estudo sugere polpa de laranja em pílulas

Publicado em 01 novembro 2004

Na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), um outro grupo de pesquisadores, coordenados pelos professores Miguel Arcanjo Áreas e Guillermo Reyes, deposita suas esperanças contra o diabetes na polpa da laranja. Estudos feitos pela equipe atestam os efeitos do uso da polpa da laranja no combate ao diabetes. O motivo é idêntico ao da manga: grande quantidade de fibras alimentares. Contando com a colaboração da Citrosuco, empresa que produz suco de laranja, o professor Miguel conseguiu obter o material de pesquisa, ou seja, a polpa da laranja. No processo de extração do suco, o material que sobra segue para o processo de secagem para depois virar farelo, cuja finalidade é ração animal. A polpa seca e o produto que interessava para a pesquisa, uma vez que in natura possui, aproximadamente, 95% de água em sua composição. Responsáveis por reduzir o colesterol no sangue, as fibras são classificadas em solúveis e insolúveis. As fibras solúveis encontradas na polpa de laranja são responsáveis pela retenção de água no estômago, formando, dessa forma, uma estrutura gelatinosa. Cápsulas Além de induzir a uma redução na ingestão de alimentos, esse tipo de fibra auxilia na redução da absorção intestinal de glicose e lipídios para a corrente sanguínea. A utilização desse tipo de fibra é fortemente indicada nas dietas para indivíduos diabéticos. Já as fibras insolúveis, também presentes na polpa da laranja, são importantes na prevenção de doenças como a constipação intestinal e o câncer de intestino grosso. Isso se dá porque as fibras insolúveis aceleram o movimento do boIo fecal por meio do intestino, fazendo com que o órgão tenha um tempo menor de exposição a agentes causadores de doenças. Além disso, as pesquisas indicaram a presença de substância antioxidantes na polpa da laranja, apontando para uma proteção contra doenças crônico-degenerativas, como a ateroscicrose, por exemplo, combatendo, assim, a formação de radicais livres. Assim, estuda-se a possibilidade do fornecimento da polpa seca na forma de cápsulas ou associada a produtos alimentícios. Miguel conclui que e extremamente importante adorar hábitos alimentares saudáveis como, por exemplo, introduzir na dieta habitual alimentos ricos em fibras como frutas, verduras, legumes e cereais. Dessa forma, as pessoas estariam colaborando na prevenção de doenças como as estudadas neste trabalho, avalia o pesquisador, cujos trabalhos tiveram apoio da Fapesp, Capes e CNPq.