Notícia

UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

Estudo revela como rins reagem a veneno de serpente

Publicado em 17 setembro 2010

Por RAQUEL DO CARMO SANTOS

Pesquisa desvenda as alterações renais causadas por envenenamento pela serpente Bothrops alternatus, espécie agressiva presente, em geral, no sudeste e sul do Brasil e conhecida pela alta quantidade de veneno inoculado. O estudo feito pelo farmacêutico André Lisboa Rennó a partir de uma aplicação de dose subletal da peçonha em ratos trouxe entendimentos de como três enzimas-chaves produzidas pelo rim se comportam durante o dano renal. São elas: a heme-oxigenase, a ciclo-oxigenase e a superóxido dismutase, importantes por estarem envolvidas na manutenção renal, na proteção e nos processos inflamatórios.

"Eram muitas perguntas existentes na literatura e o estudo conseguiu esclarecer o que acontece bioquimicamente nos rins. Isto abre portas para a compreensão das alterações renais e o papel das enzimas neste quadro", esclarece Rennó, lembrando que a insuficiência renal é a principal causa de óbito em seres humanos neste tipo de envenenamento.

Em estudos anteriores realizados no Laboratório de Farmacologia e Bioquímica da Faculdade de Ciências Médicas (FCM), onde o farmacêutico apresentou dissertação de mestrado sobre o assunto, já se havia constatado as alterações morfológicas e funcionais renais em quadros de envenenamento pela Bothrops alternatus. No pós-doutoramento, realizado em colaboração com professores da FCM e do Instituto de Biologia (IB), a farmacêutica Alessandra Linardi identificou essas alterações e indicou algumas das principais enzimas envolvidas no processo. Na sequência, Rennó quis entender o mecanismo, uma vez que os rins são os órgãos vulneráveis por concentrar as toxinas das peçonhas.

Outros estudos nesta linha, segundo o autor da pesquisa, poderão levar a novas terapias nos quadros de envenenamento. Pelo menos é neste sentido que as investigações feitas com a peçonha da Bothrops alternatus no laboratório, coordenado pelo professor Stephen Hyslop, orientador da dissertação de mestrado, se destacam. No estudo apresentado por André Rennó, a dose subletal aplicada em ratos não causou a morte do animal e, só assim, foi possível analisar os aspectos da diminuição do volume urinário, a insuficiência renal e as causas de lesões até sete dias após o envenenamento.

Publicação

Dissertação "Perfil heme-oxigenase, ciclo-oxigenase e superóxido dismutase em rins de ratos tratados com peçonha Bothrops alternatus"

Autor: André Lisboa Rennó

Orientador: Stephen Hyslop

Unidade: Faculdade de Ciências Médicas (FCM)

Financiamento: Capes, CNPq e Fapesp