Notícia

Agência USP de Notícias

Estudo rastreia doenças cardiovasculares e fatores de risco

Publicado em 12 setembro 2007

Da redação, Agência USP

O Núcleo de Epidemiologia (NEPI) da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP iniciou a pesquisa epidemiológica Prevalência de Doenças Cardiovasculares e de seus Fatores de risco no município de Ribeirão Preto, SP, 2007 (Projeto EPIDCV). O estudo, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), deverá ser concluído no final de 2008. O objetivo é identificar os problemas cardiovasculares mais freqüentes na população local e hábitos de vida que podem aumentar ou reduzir sua incidência.

Ao todo, 1.205 pessoas, com 30 anos ou mais, serão entrevistadas na cidade, selecionadas a partir do processo de amostragem probabilística, com partilha proporcional em três estágios. Foram sorteados 81 setores censitários do município no primeiro estágio. Na seqüência, no segundo estágio, foram sorteados 2 mil domicílios, e, posteriormente, a seleção dos 1.205 indivíduos elegíveis para a participação na pesquisa.

"Os setores sorteados distribuem-se por toda a extensão da cidade", relata a médica epidemiologista e professora da EERP, Suzana Alves de Moraes, coordenadora da pesquisa. "Os participantes responderão a um questionário composto por várias seções com questões sobre características sócio-demográficas (sexo, idade, estado civil, ocupação e renda) e relacionadas aos hábitos de vida, como fumar, ingerir bebidas alcoólicas, praticar atividades físicas, entre outros".

Segundo a professora, o questionário possui uma seção específica para a avaliação do estado cognitivo das pessoas e outra relacionada ao seu estado de saúde referido. "Há, ainda, uma parte relacionada ao padrão alimentar, que mede freqüência de consumo de determinados alimentos, nos últimos seis meses, e uma seção a partir da qual será possível quantificar os macro e micronutrientes da dieta da população", explica.


Exames

A pesquisa também conta com questões relativas à tomada de medidas antropométricas e a aferição da pressão arterial "Os participantes realizarão ainda alguns exames complementares, como dosagem de glicemia, teste oral de tolerância à glicose e eletrocardiograma, e receberão cópias dos resultados", aponta Suzana.

A montagem definitiva do questionário e o treinamento dos entrevistadores tiveram início em fevereiro deste ano, sendo que as visitas domiciliares foram iniciadas em junho e deverão se estender até maio de 2008. Os resultados finais da pesquisa serão divulgados no final de 2008.

"Temos poucos estudos epidemiológicos desse porte no Brasil", observa Suzana. "Os resultados deverão refletir a prevalência das doenças cardiovasculares de maior impacto epidemiológico como a hipertensão arterial, as doenças isquêmicas do coração e os acidentes vasculares cerebrais, bem como a prevalência de seus fatores de risco, na população adulta de 30 anos e mais, residente na cidade de Ribeirão Preto em 2007".

A professora ressalta que "os produtos finais de um estudo epidemiológico fundamentado em amostragem probabilística dão subsídios para o planejamento em saúde, no município, beneficiando, por conseguinte, a população, como um todo".

Os moradores sorteados são contactados por meio de um telefonema e as entrevistas domiciliares são agendadas com antecedência. Os participantes sorteados que desejarem obter mais informações sobre o Projeto devem entrar em contato com a coordenação, de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h, pelo telefone 3602.3437.

(Com informações do Serviço de Comunicação Social da Prefeitura do Campus de Ribeirão Preto)