Notícia

Jornal de Brasília

Estudo premiado sobre Lobato

Publicado em 06 novembro 2009

A paixão em suas formas distintas foi a grande vencedora do Prêmio Jabuti de literatura, cuja entrega ocorreu na noite de quarta-feira, na Sala São Paulo. "Fui tomado por sensação muito forte quando escrevi essa história", contava Moacyr Scliar sobre o romance Manual da Paixão Solitária (Companhia das Letras), eleito o Livro do Ano de Ficção. Próximo a ele, estava a pesquisadora Marisa Lajolo. "Monteiro Lobato foi um escritor mágico, pois todos gostam de reverenciá-lo e premiá-lo", dizia ela, carregando o troféu do Livro do Ano de Não-Ficção por Montero Lobato: Livro a Livro (Editora Unesp/Imprensa Oficial), organizado por ela e João Luís Ceccantini.

Cada premiado recebeu, além de um troféu dourado, a quantia de R$ 30 mil. Antes, haviam faturado outro Jabuti (de cor de chumbo) e mais R$ 3 mil por vencerem em suas categorias, romance e livro de teoria ou crítica literária. E ambos previam os dividendos pela conquista. "O Jabuti tomou-se o Oscar literário do Brasil", comentou Scliar. "Saio daqui convencido de que minha carreira como escritor teve algum sentido."

Autor de uma vasta obra, que compreende 63 títulos entre contos, romances, crônicas, ensaios e ficção infanto-juvenil, Scliar contou que, ao escrever Manual da Paixão Solitária, foi tomado pela força da passagem bíblica, que inspirou sua história "Eu só escrevo sobre o que gosto e sobre assunto que vai interessar o leitor, mas, nesse caso, o arrebatamento foi maior, senti-me motivado", recorda-se o escritor que, leitor da Bíblia, busca ali fonte para suas histórias.

Pós-doutora em literatura comparada pela Brown University (EUA), Marisa Lajolo acredita que o prêmio dá uma chancela no gênero infantil na área da teoria literária e da crítica. "Montero Lobato: Livro a Livro é fruto de uma pesquisa científica, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de SP (Fapesp) e pelo CNpQ. Eu acho que é um livro representativo da maturidade da área de estudos da literatura infantil e de leitura no Brasil."