Notícia

Empresas & Negócios

Estudo do metabolismo energético ajuda no treino de judocas

Publicado em 05 maio 2012

Um estudo realizado por um grupo de pesquisadores da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP vai auxiliar o treino de judocas ao fornecer elementos que permitem uma avaliação precisa do atleta durante a execução de golpes

Com isso, será possível direcionar o treinamento visando um desempenho máximo. Os dados foram obtidos por meio do estudo do metabolismo energético de judocas durante a execução de técnicas de braços, pernas e quadril em dois exercícios típicos da arte marcial: nage-komi e o uchi-komi.

A pesquisa teve a participação dos professores Guilherme Artioli, Sandro Mendes e Antonio H. Lancha Jr, do Laboratório de Nutrição Aplicada; Rômulo Bertuzzi, do Grupo de Estudos em Desempenho Aeróbio; Hamilton Roschel, do Laboratório de Adaptações Neuromusculares ao Treinamento de Força e do Laboratório de Nutrição Aplicada; e Emerson Franchini, do Grupo de Estudos e Pesquisas em Lutas, Artes Marciais e Modalidades de Combate.

No último dia 20 de março, um artigo sobre a pesquisa, Determining the Contribution of the Energy Systems During Exercise, foi publicado no Journal of Visualized Experiments (JOVE). “A apresentação dos artigos na JOVE é feita em formato de vídeo, pois o foco principal é a demonstração dos métodos usados e não exatamente os resultados finais”, conta o professor Emerson Franchini. O vídeo da pesquisa tem cerca de 11 minutos de duração, e é acompanhado por um texto curto, em formato semelhante a um artigo científico convencional. Franchini conta que após a publicação no JOVE, a página recebeu mais de mil visualizações em menos de 24 horas. De acordo com o docente, esse grande número de acessos, em tão pouco tempo, chamou a atenção dos editores da Revista Science: “No dia seguinte, em 21 de março, a Science publicou, em sua edição online, uma nota sobre o assunto, destacando o trabalho desenvolvido pelo nosso grupo de pesquisadores”, comemora o professor.

A pesquisa

O trabalho que deu origem ao artigo publicado no JOVE foi iniciado em 2007, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Foram estudados atletas homens (faixa marrom ou preta), com mais de 18 anos, que praticassem o esporte pelo menos três vezes por semana, e competissem em torneios oficiais. O objetivo era compreender a participação de três sistemas energéticos durante a execução de técnicas de braço, perna e quadril. Foram feitas medições do consumo de oxigênio e da concentração de lactato antes e depois da prática dos exercícios nage-komi e o uchikomi. “No nage-komi, o judoca executa a entrada da técnica e projeta o parceiro; já no uchikomi, o atleta também executa a entrada da técnica, mas sem projetar o parceiro”, explica Franchini.

Os dados foram coletados por meio de um analisador de gases portátil. Durante a prática dos exercícios, cada atleta vestia uma máscara contendo um uxômetro que possibilitava que, a cada respiração,fossem obtidos dados referentes ao volume de oxigênio e gás carbônico.“Como trata-se de um equipamento portátil, o atleta podia fazer movimentos mais complexos, característica que garantiu uma coleta de dados mais precisa”, explica o professor. Os dados foram enviados, via telemetria, para um computador e, por meio deles, foi possível utilizar uma modelagem matemática, desenvolvida sobretudo na década de 1980, que forneceu as estimativas do metabolismo energético para três sistemas de transferência de energia estudados durante a realização dos exercícios.

 

Impacto nos treinamentos

Os resultados da pesquisa têm impacto direto nos treinamentos de judocas.“Por meio desses resultados, é possível fazer uma avaliação precisa do atleta, identicando seus pontos fortes e fracos e direcionando o treinamento com o objetivo de obter o máximo de rendimento, podendo melhorar o desempenho do esportista”, aponta Franchini, que além de professor livre-docente da EEFE, presta assessoria para o Comitê Olímpico Brasileiro, atendendo a três atletas da seleção de judô: Leandro Guilheiro, Tiago Camilo e Rafael Silva. Por estar enquadrado na USP no Regime de Dedicação Total à Docência e à Pesquisa (RDIDP), o professor possui autorização especial para realização de atividade simultânea.

Os artigos publicados na JOVE têm foco nas ciências naturais, saúde e biologia, focando, em especial, a descrição dos métodos utilizados nas pesquisas. Sobre o grande número de visualizações do artigo,Franchini acredita que isso se deve ao fato de ele ter uma abordagem inovadora no estudo deste tipo de modalidade de combate.