Notícia

Jornal do Commercio (RJ)

Estudo coloca origem do homem em dúvida

Publicado em 03 junho 2005

EVOLUÇÃO


Na ciência, algumas certezas não são permanentes, especialmente em áreas em que novas descobertas desafiam o que parecia sedimentado. Com base na análise de fósseis de três espécies de primatas que viveram há cerca de 30 milhões de anos, um estudo que acaba de ser divulgado lança uma dúvida geográfica sobre a origem do homem.
Historicamente, a maior parte das informações existentes sobre a evolução dos grandes primatas, como macacos, gorilas e o homem, era derivada de exemplares fósseis encontrados na África. Mas um estudo publicado na revista "Proceedings of the National Academy of Sciences" (PNAS) indica a Ásia como o berço da humanidade.
A nova pesquisa vem ao encontro de outras realizadas na última década, que tem apontado com ênfase cada vez maior o papel da Ásia nas origens antropóides.
O estudo, conduzido por um grupo de cientistas de diversos países, liderado por Laurent Marivaux, do Laboratório de Paleontologia do Instituto das Ciências da Evolução, na França, foi efetuado a partir de amostras escavadas na região do Baloquistão, no Paquistão. Em um sítio do período Oligoceno, de 34 milhões a 23 milhões de anos atrás, os pesquisadores encontraram dezenas de fósseis de primatas.
Famílias
As amostras foram classificadas em duas famílias principais: Eosimiidae e Amphipithecidae. Segundo os cientistas, as famílias provavelmente percorreram regiões onde hoje se encontram China, Mianmar e Tailândia.
Com base na análise filogenética dos fósseis, comparados com registros obtidos de achados anteriores, os autores classificaram as famílias encontradas como "antropóides-tronco". Segundo eles, os dados conseguidos apóiam a hipótese da origem asiática para o homem e outros grandes primatas.

Agência Fapesp