Notícia

Ambientebrasil

Estudo apresenta alteração no estoque de carbono retido pela atividade agrícola

Publicado em 22 março 2008

A Embrapa Monitoramento por Satélite concluiu levantamento para avaliar a alteração dos estoques de carbono da fitomassa agrícola em 125 municípios paulistas. O levantamento ocorreu em uma área de 51,7 mil km2 na região nordeste do Estado de São Paulo, comparando oito culturas em diferentes datas — 1988 e 2003.

Os primeiros resultados apresentam os valores de fitomassa dos agroecossistemas de pastagens, eucalipto, seringueira, café, citrus, soja, milho e cana-de-açúcar. Ao todo, a análise dos dados revelou que em 2003 houve um aumento de cerca de 60% no carbono imobilizado na fitomassa dos agroecossistemas presentes na região, comparado a 1988. O CO2 retirado da atmosfera e incorporado na fitomassa passou de 170 milhões para mais de 271 milhões de toneladas. O eficiente acúmulo de carbono, aliado ao intenso processo de melhorias no manejo das técnicas agrícolas, elevaram a cultura da cana-de-açúcar, naquela região, à posição de maior retentora do carbono da atmosfera por hectare por ano. Constatou-se com isso que o carbono pode, ao menos em parte, ser recomposto pelos agroecossistemas durante subseqüente uso do solo.

O mapeamento da região foi baseado na interpretação de imagens de satélite, feito em duas épocas distintas: 1988 e 2003. O projeto é realizado em parceria com a Associação Brasileira do Agronegócio de Ribeirão Preto — ABAG/RP e com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo — Fapesp. 

CarbonoBrasil