Notícia

Vale Paraibano

Estudante de São José faz pesquisa com novo própolis

Publicado em 29 junho 2008

Um novo tipo de própolis de origem brasileira, cor avermelhada e com efeito antimicrobiano foi descoberto recentemente, e poderá gelar grandes benefícios através de aplicações na área odontológica.
O estudante Bruno Bueno Silva, doutorando da FOB (Faculdade de Odontologia de Piracicaba) da Unicamp (Universidade de Campinas) foi o responsável pela pesquisa, realizada durante dois anos no estado de de Alagoas.
O joseense de 25 anos explica que a própolis possui efeitos anti-cáries, que segundo ele já foram comprovados. Recentemente o jovem defendeu sua tese de mestrado sobre o assunto.
De acordo com o pesquisador; essa nova própolis foi chamada de “própolis vermelha’ devido à sua cor avermelhada, e apresentou características bem interessantes para sua utilização.
Bruno explica que, no futuro, a própolis poderá ser utilizada em produtos odontológicos como pastas de dente e anti-séptico bucais. Além disso, ela apresenta atividade antioxidante, que também permite ser usada em alimentos e cosméticos.
O pesquisador ressalta que no Brasil existem vários tipos distintos de própolis, agora com treze tipos no total. Bruno explica que isso ocorre devido à vegetação do Brasil, que é muito variada.
Segundo ele, como as abelhas usam as plantas próximas à colméia para produzi-la, a composição química da própolis brasileira varia de acordo com a vegetação próxima ao apiário.
“Já existia uma classificação, onde foram estudadas mais de 600 amostras de própolis brasileiras oriundas de diferentes regiões brasileiras. Nessas amostras, foram identificadas 12 tipos de própolis, mas a vermelha não havia sido classificada. Por isso foi chamada de própolis nova”
Para que possa ser comercializada, exportada, e para que tenha um valor mais alto em relação à venda, Bruno diz que antes de tudo é necessário ter conhecimento de qual planta as abelhas estariam usando.
“Agora no doutorado, que eu comecei esse ano, o objetivo é descobrir quais são os compostos bioativos da própolis e verificar se a mesma possui também atividade antiinflamatória.”
Diferente de medicamento monodroga, a própolis apresenta vários princípios ativos em sua composição. Bruno explica que é necessário descobrir quais desses princípios é o responsável pela ação anti-cárie, antioxidante, e assim por diante.
De acordo com o pai de Bruno, o economista aposentado Albertino de Oliveira Silva, 58 anos, o resultado da pesquisa realizada pelo filho foi surpreendente para toda a família. “Ele sempre foi muito esforçado e sempre gostou muito de pesquisa. E algo interessante porque é um novo tipo de própolis que poderá ser muito bom para as Pessoas”, disse.
Importância
Em termos científicos, a própolis apresenta grande importância por se tratar de algo novo, cujas propriedades biológicas e compostos bioativos ainda não estão totalmente elucidados, havendo necessidade de novos estudos, com possibilidade de obtenção de patentes.
Em termos de importância social e econômica, a própolis tem relevância, pois com os estudos a renda dos apicultores aumenta ria, uma vez que o valor de venda da própolis vermelha já teria atingido R$ 480 o quilo, enquanto a própolis de São Paulo é vendida por R$ 150 o quilo.
Raio X
Pesquisador: Bruno Bueno Silva, 25 anos, joseense
Aluno de doutorando da Unicamp
Descoberta: Novo tipo de própolis
Origem: brasileira
Cor: vermelha
Onde: Alagoas
Efeitos: antimicrobiano e aplicação na área odontológica (com efeitos anti-cáries)
Perspectiva: utilização da substância na fórmula de anti-séptico bucais, cremes dentais, entre outras
Tempo de pesquisa: dois anos
Descoberta foi feita em Alagoas
De acordo com Bruno Bueno Silva, a coleta da própolis e descoberta da planta fonte foi feita no estado de Alagoas, pois é lá que é encontrada a própolis vermelha e sua planta origem, que “nasce” ao redor da região de mangue. Na primeira vez em que foi sozinho para o estado, Bruno contou com a ajuda de especialistas da UFAl, para realizar as pesquisas no apiário. “A experiência de ir para o apiário e vestir aquela ‘roupa de apiário’ no calor de Maceió foi excelente. Eu aprendi muito sobre as abelhas, o que contribuiu para meu melhor entendimento.”
Entenda o que é a própolis vermelha
A própolis é uma resina não-tóxica coletada de diversas partes das plantas como brotos, botões florais, exudatos resinosos, utilizada pelas abelhas para selar frestas da colméia, embalsamar insetos que invadem a colméia e desde a antiguidade, vem sendo utilizada com agente terapêutico na medicina popular Para a realização dos testes, foram utilizadas partes das plantas (caule, folhas, resinas) e comparada a composição química dessas partes com a composição química da própolis, para que fosse verificado qual planta possuía composição semelhante. O trabalho contou com o apoio da Fapesp, CNPq e CAPES, através de financiamentos.