Notícia

DCI

Estado de São Paulo terá 540 incubadoras

Publicado em 20 janeiro 2003

Por Fabiana Pio
Multiplicar o número de incubadoras no estado de São Paulo é uma das prioridades do governo estadual na área de ciência e tecnologia. Até o final deste ano, serão investidos R$ 200 milhões na construção de 540 galpões, com 1.000 m2. Cada um irá abrigar entre cinco a 20 pequenas empresas, segundo o secretário Estadual de Ciência e Tecnologia, João Carlos Meirelles. "Já estão prontos 16 galpões. O objetivo é atingir todos os municípios do interior de São Paulo. O projeto será finalizado nos próximos dez meses", diz. Para Meirelles, a meta principal é transformar o produto rural em agroindustrial. O programa tem parceria com o Ipen, Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). O secretário anunciou o projeto durante sua primeira visita ao Centro Incubador de Empresas Tecnológicas (Cietec), localizado no Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), na Cidade Universitária. Entre as empresas incubadas, Meirelles demonstrou grande interesse pela Electrocell, pequena fabricante de célula a combustível (equipamento que transforma oxigênio e hidrogênio, em energia elétrica, calor e água). De acordo com Gerhard Ett, um dos diretores da Electrocell, a tecnologia desenvolvida pelos pesquisadores da empresa é 100% nacional e representa uma das mais avançadas nesta área. Ela pode ser implantada no interior de carros e também ter o tamanho de um frigobar, para ser colocado em residências. "A célula a combustível gera energia elétrica de alta qualidade, conhecida como energia premium. Ela é indicada principalmente para os setores de telecomunicações e hospitalar, por não emitir ruídos", diz Ett. A Electrocell já desenvolveu uma célula a combustível de 2,5 KW de potência, com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado São Paulo (Fapesp). E espera receber mais R$ 300 mil da fundação para criar um equipamento de 50 KW, que irá gerar energia suficiente para abastecer um prédio, cinema e escritórios de alto padrão. A empresa já finalizou um projeto de célula a combustível de 2,5 KW e forneceu ao Ipen para a realização de pesquisas nessa área. Além disso, já comercializou cerca de seis protótipos com algumas empresas no País, entre elas uma geradora de energia elétrica, cujo nome não pôde ser divulgado. De acordo com Ett, a Electrocell espera que os equipamentos estejam prontos para a comercialização no final de 2004. A Electrocell tem 47 funcionários e parceria com 10 empresas. "A Electrocell está crescendo graças ao apoio da Fapesp e do Cietec. O espaço no Cietec já está ficando pequeno para nós. Estamos aguardando a construção do Parque Tecnológico em São Paulo, para nos mudarmos para lá", diz Ett.