Notícia

Programa Amigos do Mar (Blog)

Especialista de renome mundial em dinâmica de submesoescala visitou as dependências do IOUSP e ministrou palestra

Publicado em 16 novembro 2017

O Prof. Dr. Amit Tandon, professor titular de Oceanografia Física e Mecânica de Fluídos da Universidade de Massachusetts em Dartmouth, ministrou palestra no Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo intitulada “ASIRI-OMM: International USA-India Research collaboration in the Bay of Bengal (Northern Indian Ocean)” acerca do efeito das monções do Sul da Ásia na estratificação da Baía de Bengala, num esforço colaborativo de pesquisa oceanográfica entre os Estados Unidos e a Índia.

Tandon, especialista em dinâmica de submesoescala, contribuiu teoricamente, tanto em termos de observações como modelagem e descreveu em sua palestra o experimento em que lideram pesquisadores dos três melhores programas de pós-graduação em Oceanografia dos EUA (MIT-WHOI, UW, SIO) na Baía de Bengala.

Submesoescala é a escala típica dos movimentos que ocorrem na camada de mistura dos oceanos. Os fenômenos nesta ocorrem em períodos de poucos dias e em uma área de 1-10 km. São essenciais para a manutenção do plâncton por serem dominantemente não-hidrostáticos.

A visita do Prof. Amit, entre 27/10 e 3/11, se deu no âmbito da Rede Interdisciplinar de Estudos da Corrente do Brasil ao longo da Margem Sudeste-Sul Brasileira - REMARSUL (CAPES), onde é pesquisador principal.

No Lado do IOUSP, Tandon instrui dois doutorandos do Prof.Dr. Ilson Silveira, os pesquisadores Filipe Pereira e Dante Napolitano e será coorientador oficialmente destes tão logo o Programa de Dupla Titulação USP-UMass seja reestabelecido. Também coorienta, com Ilson, o graduando Guido Porto em seu trabalho de Graduação (TG).

O Prof. Ilson esclareceu que um experimento de menor escopo, mas de igual complexidade amostral e dinâmica vem sendo realizado nas vizinhanças das Ilhas Trindade e Martim Vaz por equipe formada por ele próprio e pelos professores Frederico Brandini e Rubens Lopes do IOUSP, Prof. Paulo Henrique Calil da FURG e o Prof. Tandon, com financiamento do CNPq e FAPESP.

Segundo o doutorando Dante “o professor conseguiu em sua palestra falar de coisas complexas, de diferentes áreas, de uma forma simples e bastante didática”. Em entrevista Filipe comentou que o Dr. Tandon falou de forma muito clara da necessidade de se compreender como os fenômenos de submesoescala são importantes para previsão das monções naquela região, onde mais de 1 bilhão de pessoas dependem dessas chuvas para sobreviver. Disse também que “ficou impressionado com o aparato tecnológico utilizado nos cruzeiros”.

Ilson Silveira, Eloisa Maia e Jorge Gruda