Notícia

RedeNotícia

ESPCA em Metodologia em Ciências Humanas abre inscrições

Publicado em 21 março 2017

Por Elton Alisson, da Agência FAPESP

Estão abertas até o dia 30 de março as inscrições para a São Paulo School of Advanced Science on Research Methods for the Humanities. Apoiado pela FAPESP, no âmbito da modalidade Escola São Paulo de Ciência Avançada (ESPCA), o evento será realizado entre os dias 10 e 21 de julho no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (IFCH-Unicamp).

Serão selecionados 100 alunos da área de Ciências Humanas, entre graduandos, mestrandos, doutorandos e pós-doutorandos, sendo, aproximadamente, 50% brasileiros e 50% estrangeiros, para participar da Escola.

Para se candidatar, os interessados devem apresentar uma declaração de propósito, especificando a importância da participação na Escola para sua formação acadêmica e a data prevista para a conclusão de seu curso de graduação ou de pós-graduação.

Além disso, devem apresentar um resumo de uma página do projeto de pesquisa que desenvolvem, além de uma carta de recomendação de seu orientador ou supervisor, sua produção acadêmica e um currículo com informações relevantes sobre o trabalho científico que realizam – incluindo publicações em revistas científicas internacionais.

As inscrições devem ser feitas pelo site https://espca.wordpress.com .

“O objetivo da Escola é fornecer subsídios para que os participantes possam acompanhar a evolução do ponto de vista metodológico que tem ocorrido nas Ciências Sociais e que tem revolucionado a forma de se fazer pesquisa na área”, disse Andréa Freitas, professora do Departamento de Ciência Política do IFCH-Unicamp e membro da comissão organizadora do evento, à Agência FAPESP.

“Tem se tornado cada vez mais difícil para os estudantes de Ciências Humanas se conectarem às pesquisas de ponta na área sem que tenham algum conhecimento sobre técnicas computacionais e metodologias específicas. O campo da Ciências Humanas tem passado por uma verdadeira revolução tecnológica”, avaliou.

A programação da Escola será composta por oito cursos com duração de uma semana e carga horária de 20 horas, que serão ministrados em inglês por especialistas do Brasil e do exterior.

Os alunos admitidos deverão se matricular em dois dos oitos cursos oferecidos. Os cursos oferecidos são: “Causal Inference”, “Digital Ethnography”, “Event History Analysis”, “Experiments in the Social Sciences”, “Kinship Networks”, “Multilevel Analysis for the Social Sciences”, “Methods for Subnational Population Projections” e “Archival Ethnography: The Intersection of Anthropology and History”.

No curso “Event History Analysis”, que será ministrado por Benoît Laplante, professor do Institut National de la Recherche Scientifique (INRS), do Canadá, será feita uma introdução ao uso da análise de sobrevivência nas Ciências Sociais e como deve ser feita a recolha, armazenamento e manuseamento de dados biográficos.

E nos cursos “Causal Inference” e Experiments in the Social Sciences”, os participantes terão a oportunidade de conhecer uma das áreas que mais têm crescido nas Ciências Sociais em razão da possibilidade de utilizar a opinião de pessoas dadas voluntariamente na internet como dado para análise de comportamento.

“Os cursos oferecerão uma visão abrangente de inferência causal aplicada a quase-experimentos e experimentos naturais”, explicou Freitas. “Isso tem sido bastante usado na área de Ciências Humanas e tende a crescer enormemente porque permite estabelecer de forma mais objetiva a relação causal entre fenômenos”, afirmou.

Na área de Ciência Política têm sido realizados estudos para entender o comportamento dos membros do Legislativo brasileiro em que, além de variáveis tradicionalmente utilizadas, como a votação dos deputados federais e a posição deles em relação aos projetos em pauta, também foram obtidas suas opiniões no Twitter e dados sobre suas histórias de vida, exemplificou a pesquisadora.

“Antes fazíamos pesquisas tendo acesso a um conjunto muito restrito de dados. Hoje, com a evolução computacional, o processamento de dados não é mais um limitador, assim como os dados a que temos acesso também são muito mais diversificados. Precisamos estar atentos às inovações e a Escola proporcionará o contato com estas técnicas”, avaliou.

Durante a Escola, os participantes também terão a oportunidade de apresentar seus projetos de pesquisas para os professores e discutir com eles sobre as possibilidades e soluções para o encaminhamento de seus trabalhos utilizando novas metodologias.