Notícia

Jornal de Piracicaba

Esgoto melhora produção de madeira

Publicado em 26 abril 2005

Experimentos feitos pela Esalq mostram melhora de até 35% nas plantações de eucalipto

A utilização de biossólidos lodo de esgoto tratado e higienizado  provenientes de estações de tratamento de esgotos, em plantações de eucalipto pode aumentar a produção de madeira em ate 35% . Experimentos realizados na Estação Experimental de Ciências Florestais de Itatinga pelo Departamento de Ciências Florestais da Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) mostram que o uso deste composto orgânico de lodo de esgoto apresenta vantagens em relação à fertilização mineral, principalmente na preservação dó meio ambiente em florestamentos de eucaliptos.
A pesquisa teve como principal objetivo verificar as doses e a norma ideal de se aplicar o produto nas plantações. "
A idéia é complementar os fertilizantes de origem mineral declarou o professor Fábio Poggiani, do Departamento de Ciências Florestais da Esalq: A pesquisa e financiada pela Sabesp (Serviço de Abastecimento do Estado de São Paulo), Fapesp (Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo) e Finep (Financiadora de Estudos e Projetos). Os estudos constataram que houve melhoria da fertilidade do bolo, resultando em aumento da produtividade. Segundo Poggiani, os experimentos surgem como alternativa para solucionar o problema do lodo de esgoto produzido nas ETEs. "Em breve, a metrópole de São Paulo deverá produzir quase mil toneladas diárias de biossólido." O professor disse que os ecossistemas agroflorestais podem ser beneficiados com o biossolido que é rico em matéria orgânica e nutriente Contudo, ele contou que ha pesquisas em andamento que verificam os impactos do pro duto no solo, nas plantas e nos aqüíferos. "Temos de avaliar o potencial poluente, devido a eventual carga de nitrogênio e de metais pesados". Grandes empresas, como a Suzano, a Champion, a Duratex e a Ripasa já utilizam com bons resultados esta técnica experimentalmente. "Para uso em grande escala é necessária a liberação pelo Conama (Conselho Nacional de Meio Ambiente)", disse.