Notícia

Jornal GGN

Escritora da Bielorrússia ganha o Nobel de Literatura

Publicado em 13 outubro 2015

por Márcio Ferrari

O Prêmio Nobel de Literatura de 2015 foi concedido à escritora Svetlana Alexievich, nascida na Ucrânia e criada na Bielorrússia. O anúncio foi feito pela Academia Sueca nesta quinta-feira (8), em um pronunciamento que atribuiu o prêmio “a seus escritos polifônicos, um monumento ao sofrimento e à coragem em nosso tempo”. Nenhuma das obras da escritora foi publicada no Brasil.

Os livros de Svetlana, de 67 anos, falam de pessoas que lutaram em guerras como a do Afeganistão ou das vítimas do acidente da usina nuclear de Chernobyl, ocorrido na Ucrânia em 1986. Sua irmã morreu e sua mãe ficou cega em consequência do acidente. Tanto a Ucrânia, onde a escritora nasceu, quanto a Bielorrússia eram repúblicas da União Soviética. Svetlana escreve em russo e não no idioma bielorrusso, no qual foi criada. “Por um lado, é uma sensação fantástica, mas, por outro, é perturbador”, declarou ela por telefone à emissora de televisão sueca STV sobre ter sido distinguida com o prêmio.

Esta foi uma das raras vezes em que o prêmio foi concedido a um autor de obras de não ficção. Anteriormente, já haviam sido premiados o filósofo Bertrand Russell (1950) e o primeiro-ministro britânico (1953) Winston Churchill (por suas memórias), mas esta é a primeira vez que a Academia distingue uma autora próxima ao jornalismo, que ela estudou na Universidade de Minsk, na Bielorrússia. Para escrever o livro Vozes de Chernobyl: a história oral de um desastre nuclear (1997) ela ouviu mais de 500 pessoas. Mesmo assim, a academia preferiu afirmar que Svetlana “inventou um novo gênero”. Ela mesma nega que faça jornalismo em seus livros, recusando-se a classificá-los.