Notícia

O Dia (SP)

Escolas estaduais de Campinas participam de projeto de inclusão

Publicado em 21 fevereiro 2007

Teve inicio no dia 6 de fevereiro o projeto "Conhecimentos escolares relacionados à ciência, à sociedade e ao ambiente em micro-bacia urbana", fruto de uma parceria entre -os institutos de Geociências (IG) e Biologia - (IB) da Unicamp e o Instituto Agronômico de Campinas (IAC).
O objetivo d projeto é a inclusão de alunos do segundo ciclo e do ensino médio, do sistema público de ensino, na questão da educação e da gestão ambiental, para o enfrentamento de problemas sócio-ambientais.
O projeto, que terá duração de quatro anos, está sendo desenvolvido nas escolas estaduais Ana Rita Godinho Pousa e Adalberto Nascimento, em Campinas (SP) e tem suporte financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) — Linhas Públicas e também da Petrobrás. Na Unicamp, o projeto terá a coordenação do professor Mauricio Compiani, do IG.
De acordo com Gabrfel Güber Hornink, pesquisador colaborador do projeto, são 48 pesquisadores envolvidos nessa tarefa, sendo que 31 pertencem às instituições de pesquisa e 17 são professores da rede estadual. "O diferencial desse projeto é que os professores também são pesquisadores, têm uma participação ativa no processo", afirmou Gabriel.
Esse projeto, segundo o pesquisador, é uma continuidade do projeto de políticas publicas denominado "Recuperação ambiental, participação e poder publico uma experiência em Campinas", desenvolvido na bacia urbana do Ribeirão Anhumas e realizado pelo IG, IAC e Prefeitura Municipal. "Esse projeto analisou os riscos e a problema tica da bacia do Ribeirão Anhumas", observou Gabriel.
Gabriel explicou que nesse primeiro ano o projeto oferecerá aos alunos e professores oficinas com temas relacionados a recursos hídricos. "Serão oficinas sobre educação ambiental, interdisciplinaridade, sobre a questão local-regional que contextualizará o meio, e sobre ciência, tecnologia, sociedade e ambiente (CTSA)". Segundo ele, isso ajudará os professores a preparar o planejamento educacional para os próximos anos, que serão dedicados à aplicação prática e análise dos dados obtidos. Serão elabora dos materiais didáticos' como mapas, jogos, maquetes e vídeos que serão disponibilizados através de bibliotecas e meios digitais. "Faremos uma socialização dos resultados", afirmou Gabriel. Os professores também deverão elaborar um projeto de pesquisa individual relacionado com o tema. "Devemos observar que esse projeto atinge todas as disciplinas, fazendo da interdisciplinaridade um ponto importante no desenvolvimento do trabalho", finalizou Gabriel.