Notícia

Diário da Franca

Equipes de saúde de SP vão ensinar mães novatas a cuidar dos filhos

Publicado em 20 julho 2013

Cerca de 3.000 famílias da zona oeste de São Paulo receberão da rede pública de saúde instruções que visam ajudar o desenvolvimento de crianças de até três anos.

O acompanhamento será feito pelas equipes do programa Saúde da Família que atuam na região do Butantã.

Os cerca de 300 profissionais receberão treinamento por meio de uma parceria da Secretaria Municipal da Saúde com a USP, Fapesp e Fundação Maria Cecília Souto Vidigal.

“Por conta do número de pessoas a serem atendidas, percebemos que as equipes de saúde estão muito voltadas ao atendimento dos problemas. E atividades de prevenção ou que ajudem o desenvolvimento das crianças são deixadas de lado”, disse a professora Anna Maria Chiesa, da Escola de Enfermagem da USP, coordenadora do programa.

Devido a essa situação, afirma Chiesa, profissionais do Saúde da Família estão passando por capacitação, que começaram em junho e vão até fevereiro de 2014.

As primeiras equipes concluirão o treinamento no mês que vem. O Butantã foi escolhido porque a rede de saúde local já tem parceria com a Fundação Faculdade de Medicina da USP. A estimativa é que 3.000 famílias da região que usam o Saúde da Família possuem grávidas ou crianças de 0 a 3 anos.

Por meio de instrução dos profissionais e de materiais impressos, o projeto prevê que as famílias saibam, por exemplo, a importância de o jovem brincar, afirma a coordenadora.

“Muitos acham que a brincadeira é perda de tempo. Ou que demanda brinquedos caros”, diz Chiesa. “Sendo que é melhor os pais brincarem sem nada com a criança do que ela estar num super-carrinho com um tablet.”

Segundo especialistas, as brincadeiras ajudam no desenvolvimento social e motor dos jovens.

A interação entre criança e pais é outro ponto que será destacado para as famílias, afirma a coordenadora do programa. “Às vezes a criança fica dez horas na creche e, quando chega em casa, a mãe nem dá o banho. É nesse momento que se pode dar carinho, ver o desenvolvimento dela.”

Outros temas a serem abordados são higiene, prevenção de acidentes, direitos e segurança.

Além do atendimento, o programa prevê uma pesquisa que avaliará o impacto das ações nos profissionais e nas famílias.