Notícia

GVces - Centro de Estudos em Sustentabilidade

Equipamento adensa palha da cana

Publicado em 14 julho 2010

Por Raquel do Carmo Santos

O engenheiro agrícola Henrique Leandro Silveira construiu e avaliou em sua dissertação de mestrado, apresentada na Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri), um protótipo para o adensamento da palha de cana-de-açúcar, muito usada para geração de energia. Isto porque a baixa densidade da palha é um dos fatores que mais contribui para o aumento dos custos de transporte, pois a capacidade de carga dos caminhões e o espaço físico dos pátios de armazenamento das usinas ficam subutilizados. O protótipo faz parte do projeto Unidade Móvel de Auxílio à Colheita (Unimac-cana), cujo objetivo é a construção de uma colhedora capaz de reunir em um só equipamento várias funções envolvidas na colheita da cana-de-açúcar. O projeto é coordenado pelo orientador de Silveira, professor Oscar Braunbeck, e pelo professor Paulo Graziano Magalhães.

Atualmente, enfardadoras ou picadoras de forragem - máquinas originalmente projetadas para a cultura do feno - têm sido utilizadas para compactar o resíduo. "No entanto, elas são inadequadas para processar o elevado volume de material proveniente da cana-de-açúcar", argumenta. Além disso, a corda utilizada para amarração dos fardos constitui cerca de 40% do custo total de enfardamento, revelando ser um importante insumo a ser eliminado do processo. O engenheiro destaca a importância de se pesquisar novas soluções de adensamento a baixo custo, para viabilizar de forma econômica a recuperação dos resíduos de colheita da cana-de-açúcar.

No protótipo construído, o engenheiro idealizou um dispositivo constituído por cone rotativo, no qual o material é alimentado de forma bruta. As forças de atrito geradas entre a palha e a superfície do cone torcem e estruturam o material, que pode, por sua vez, ser enrolado continuamente sob a forma de corda em bobinas compactas. Depois de construído, o engenheiro procedeu os testes de viabilidade técnica do processo e densidade final alcançada pela corda. O estudo só não avaliou os gastos energéticos e os custos envolvidos no adensamento, mas é possível adiantar que no sistema proposto não seriam necessários dispositivos extras de amarração dos fardos.

Segundo Silveira, um dos principais desafios atualmente enfrentados pelas usinas sucroalcooleiras no Brasil tem sido a logística de recuperação dos resíduos de colheita da cana-de-açúcar, voltada para fins de aproveitamento energético. Estes resíduos, que até recentemente eram queimados nos canaviais como prática de pré-colheita, contêm cerca de um terço de toda a energia presente na biomassa, justificando a sua recuperação tanto do ponto de vista ambiental quanto econômico. Entretanto, os custos envolvidos na fase de recuperação e adensamento deste material ainda são elevados, devido principalmente à sua baixa densidade in natura. Trata-se de um problema para as usinas, que consideram os resíduos agrícolas uma fonte para a cogeração de energia em suas instalações. Ademais, as tecnologias para a produção de etanol de segunda geração a partir da palha estão bastante avançadas e, por isso, alternativas para viabilizar o seu transporte a baixo custo são atraentes.

Publicação

Dissertação: "Adensamento da palha de cana-de-açúcar utilizando o princípio de torção por atrito"

Autor: Henrique Leandro Silveira

Orientador: Oscar Braunbeck

Unidade: Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri)

Financiamento: Capes e Fapesp

Campinas, 12 de julho a 1º de agosto de 2010 - ANO XXIV - Nº 468

Fonte: Jornal da Unicamp