Notícia

Jornal da Ciência online

Entidades e cientistas prestam homenagens ao físico Marco Antonio Raupp

Publicado em 29 julho 2021

Cerimônia pelo sétimo dia da morte do ex-ministro da Ciência e ex-presidente da SBPC será transmitida nesta sexta-feira (30), às 19h30, pelo canal da Catedral São Dimas no YouTube

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) tem recebido de entidades científicas e pesquisadores mensagens de condolências em homenagem ao físico e grande defensor da ciência brasileira Marco Antonio Raupp, que faleceu no último sábado, 24 de julho, aos 83 anos, em São José dos Campos (SP). Os depoimentos estão publicados logo abaixo deste texto.

A cerimônia de sétimo dia de morte do físico e ex-ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, será nesta sexta-feira, 30 de julho, às 19h30. A transmissão será feita pelo canal da Catedral São Dimas no YouTube.

Sócio ativo da SBPC desde 1993, Raupp teve importante atuação na gestão da entidade, trabalhando em diferentes cargos em várias gestões. Presidente de honra da Sociedade desde 2013, presidiu a entidade (de 2007 até fevereiro de 2011), foi membro de seu Conselho (de 2001 a 2005), vice-presidente (de 1999 a 2001) e primeiro-tesoureiro em dois mandatos (de 1993 a1997).

Graduado em física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e doutor em matemática pela Universidade de Chicago, ele dividiu sua vida profissional entre as atividades acadêmicas e a gestão de instituições de ciência e tecnologia, tornando-se defensor da integração entre a instituição de pesquisa e o setor produtivo.

Em sua longa carreira, foi pesquisador e diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC). À frente da diretoria do Inpe, participou das negociações que resultaram no programa dos satélites CBERS, em cooperação com a China e conseguiu implantar o Laboratório de Integração de Testes. Na direção do LNCC, criou o Laboratório de Bioinformática. Esses laboratórios são considerados de ponta e utilizados por pesquisadores de todo o País e pela indústria. Foi diretor-geral e um dos mentores da criação do Parque Tecnológico de São José dos Campos (PqTec), organização que dirigiu entre 2006 e 2011, atuando de forma decisiva para a implementação de projetos inovadores.

Presidiu a Agência Espacial Brasileira (AEB), instituição à qual levou sua larga experiência em temas da política e tecnologia do Espaço, e também integrou o Conselho Administrativo da Alcântara Cyclone Space (ACS). Foi membro titular do Conselho Nacional da Ciência e Tecnologia (CCT), presidente do Conselho de Administração do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), membro do Conselho de Administração da Associação Brasileira de Tecnologia de Luz Síncrotron (ABTLuS) – instituições que fortaleceram o Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia e Inovação. Raupp também comandou a pasta de Ciência e Tecnologia do governo de Dilma Rousseff (PT) entre os anos de 2012 e 2014.

Por suas contribuições à ciência brasileira, recebeu os títulos da Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico da Presidência da República; Grande Oficial da Ordem do Mérito Aeronáutico, da Força Aérea Brasileira (FAB); Grande Oficial da Ordem do Mérito Naval, da Marinha do Brasil; Medalha de Pacificador, do Exército Brasileiro (EB); Grã-Cruz da Ordem do Rio Branco, do Ministério das Relações Exteriores (MRE); e Medalha da Inconfidência, do Governo no Estado de Minas Gerais.

Confira abaixo as manifestações e mensagens de condolências prestadas a Marco Antonio Raupp:

“Ele exerceu alguns dos cargos mais importantes da área, como o de ministro da Ciência e Tecnologia, diretor do Inpe, do LNCC, dentre outros. Sua morte é uma grande perda para o País e para a ciência brasileira.” Renato Janine Ribeiro, presidente da SBPC

“Perdemos um grande brasileiro e perdi um amigo dileto e com quem aprendi muito. Marco Antonio Raupp batalhou por décadas pela ciência, tecnologia e inovação no Brasil. Formado em física e matemática, foi um dos professores que deixaram a UnB (Universidade de Brasília) em 1965 por razões políticas. Dirigiu instituições de pesquisa importantes como o INPE, LNCC e AEB e foi um dos criadores do Parque Tecnológico de São José dos Campos, que também dirigiu. Teve atuação intensa na SBPC por muitos anos, tendo sido presidente de 2011 a 2014; e foi ministro da CT&I entre 2012 e 2014, com uma condução dinâmica e aberta. Levou à frente o programa do satélite geoestacionário brasileiro e, batalhador pela inovação, deu partida à Embrapii; mas destacava sempre a importância da pesquisa básica e do CNPq. Interagi muito com ele, no período em que dirigia a SBPC. Depois trabalhei com ele, em 2012, quando ele era ministro da CT&I; aliás, só fiquei ali mais um ano, porque ele insistiu e eu não queria decepcioná-lo. Apreciava muito seu jeito direto, simpático e irônico, além da amizade sempre presente. Deu muita força para a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia e para organizarmos as atividades no Armazém Científico, no porto do Rio, durante a Rio + 20, que apreciou muito. Valeu, Raupp! Muito obrigado pela amizade, pela força e pelo que fez pela ciência brasileira e por nosso país! Adeus!” Ildeu de Castro Moreira, presidente de honra da SBPC.

“O Brasil e a ciência, tecnologia e inovação devem muito a esse homem. A luta dele sempre foi constante. Seu trabalho está eternizado em todos os órgãos por que passou, como o Parque Tecnológico de São José dos Campos, a Agência Espacial Brasileira. Ele lutava por um país soberano. Ele vai fazer muita falta para mim e para o Brasil que precisamos.” Helena Nader, presidente de honra da SBPC.

“Além de ter consolidado várias instituições de pesquisa durante sua carreira, Raupp conseguiu construir uma grande família: sete filhos, de quem sempre falou com muito carinho. Mesmo às vezes estando ausente dessa família, por estar envolvido na construção da ciência e tecnologia do Brasil, ele sempre foi um pai extremamente presente. Um abraço e um conforto da SBPC para essa família que compartilhou esse ser tão especial com toda a comunidade científica”. Ana Tereza Ribeiros de Vasconcelos, pesquisadora do Laboratório Nacional de Computac¸a~o Cientifica (LNCC/MCTI) e diretora da SBPC.

“Perde a ciência e a inovação. Ser humano ímpar. Marco Antonio Raupp é um ícone em nosso país, responsável por atos arrojados, e deixa um legado de desenvolvimento tecnológico e o respeito de todas as pessoas que, assim como ele, tinham a dedicação em aprender sempre. Raupp conseguia entender as dificuldades e necessidades de startups a multinacionais, agia sempre em busca de levar a tecnologia como um diferencial e fez do PqTec o maior e mais respeitado parque do Brasil.” Marcelo Nunes, diretor-geral do Parque Tecnológico de São dos Campos.

“Nós devemos muito a ele, não só nessa área de desenvolvimento tecnológico como cientista, pesquisador e professor, mas também na gerência de órgãos públicos, como o MCTI, e em institutos de pesquisa como o Inpe.” Luiz Bevilacqua, professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

“Marco Antonio Raupp foi um notável cidadão e cientista do nosso País. Nas tantas funções públicas que desempenhou, mostrou ser um ser humano sensível, cientista dedicado e notável em seus valores como gestor. Sigamos seus exemplos, com solidariedade agora aos próximos, amigos e familiares, que o perderam agora.” Sergio Bampi, professor titular do Instituto de Informática da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

“Amigo da Amazônia e do Amazonas, foi grande incentivador da política de C&T implantada em nosso Estado. Lamentamos muito.” Marilene Corrêa da Silva Freitas, professora titular do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e membro do Conselho da SBPC.

“Mesmo que sabíamos que o Raupp não estava bem, a notícia de seu falecimento foi muito triste. Tive oportunidade de trabalhar ao seu lado na Diretoria da SBPC, sempre gentil, cordial, colega e amigo. Meus sentimentos à família, amigos e colegas.” Vanderlan Bozani, presidente da Academia de Ciências do Estado de São Paulo (Aciesp) e conselheira da SBPC.

“Mais uma grande perda para a ciência brasileira. Tive a sorte de conhecer o Raupp e participar da Diretoria da SBPC na gestão dele. Quem o conheceu sabe que ele era uma pessoa super humana, era impossível ter raiva dele. Quanta gente boa está partido.” José Antônio Aleixo, professor titular do Departamento de Ciência Florestal da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

“Triste demais. Estamos perdendo nossos valentes companheiros. Raupp será lembrado com saudade por nós que convivemos com ele pela sua pessoa generosa e sempre agradável. Deixa um legado de importantes realizações, com grande destaque ao incentivo à área de inovação. Vai deixar muita saudade. Grande liderança na luta pelo desenvolvimento da ciência brasileira, sua partida é uma perda para a área de inovação pelo magnífico trabalho que estava fazendo. Meus sentimentos para a família.” Dora Ventura, professora titular aposentada Departamento de Psicologia Experimental do Instituto de Psicologia da USP e membro do Conselho da SBPC.

“Um grande homem, contribuiu como poucos para o nosso desenvolvimento científico, tecnológico. Merece nosso reconhecimento e sua memória fica para sempre.” Luiz Bevilacqua, professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e conselheiro da SBPC.

“Que noticia triste. Mais uma grande perda para a ciência brasileira. Meus sentimentos de pesar aos familiares e a todos os amigos do professor.” Mario Steindel, professor titular aposentado de Parasitologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

“Notícia muito triste! Meus sentimentos para a família! Mais uma perda para a ciência brasileira” Carlos Frederico Martins Menck, professor titular da Universidade de São Paulo.

“Grande perda para a ciência brasileira! Minhas homenagens ao grande pesquisador e ex-presidente da SBPC!” Maria Bernardete Cordeiro de Sousa, professora titular do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

“Grande perda para o País e para o sistema de C&T. Deixou um legado de muitas realizações e um exemplo de figura humana. Que os seus familiares recebam um pouco de conforto com o reconhecimento da SBPC.” Paulo Sergio Lacerda Beirão, professor titular aposentado do Departamento de Bioquímica e Imunologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

“SBPC. Juntos nas lutas em luto.” Ennio Candotti, diretor do Museu da Amazônia (Musa) e presidente de honra da SBPC.

“Prof. Raupp sempre esbanjando humildade. Mesmo ocupando cargos tão importantes, sempre foi atencioso e acolhedor com tod@s, e sempre com um semblante alegre, sorriso no rosto. Deixa um grande exemplo e legado.” Francis Nunes, professor adjunto I do Departamento de Genética e Evolução da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

“Grande perda. Sentimentos à família.” Anderson Gomes, membro do Conselho da SBPC e professor da Universidade Federal do Pernambuco (UFPE).

“Que triste! Uma outra perda irreparável para amigos, familiares para a ciência brasileira. O Prof. Raupp será sempre uma referência para todos nós! E que ele seja muito bem acolhido onde quer que esteja.” Andrea Mara Macedo, professora titular do Departamento de Bioquímica e Imunologia da UFMG.

“O homem que sempre foi a minha referência nos deixou, mas seu legado de realizações fica. Ele deixa para mim e para todos nós que trabalhamos com CT&I o seu exemplo de luta e determinação para fazer o que ele mais gostava: a construção de um futuro melhor.” Augusto Raupp, filho do ex-ministro, ex-presidente da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), de 2015 a 2017, e subsecretário de Pesquisa, Ciência e Tecnologia da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Sectids).

“O Dr. Raupp foi um dos incentivadores da autonomia política da matemática aplicada e computacional e da fundação de uma sociedade que congregasse a pesquisadores(as) da área. Esse incentivo deu origem à SBMAC. Sócio fundador da nossa Sociedade, ele atuou, de 1979 a 1981, na primeira Diretoria como vice-presidente. Ele foi presidente da sociedade de 1981 a 1985, Secretário-Geral de 1995 a 1997, e teve vários mandatos como membro titular do Conselho. Em 2012, o Dr. Raupp recebeu da SBMAC o título de sócio honorário, em reconhecimento às suas relevantes contribuições para a nossa comunidade.” Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC).

“Graduado em física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e doutor em matemática pela Universidade de Chicago, ele dividiu sua vida profissional entre as atividades acadêmicas e a gestão de instituições de ciência e tecnologia, tornando-se defensor da integração entre a instituição de pesquisa e o setor produtivo.” Clube da Engenharia.

“Matemático, em sua gestão como presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), de 2007 até fevereiro de 2011, promoveu, junto com o então presidente da ABC e também matemático Jacob Palis, um estreitamento forte dos laços entre as duas instituições, com características diferentes, mas objetivos comuns.” Academia Brasileira de Ciências (ABC).

“O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), unidade vinculada ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), lamenta informar a perda do Ministro Marco Antônio Raupp (83), ex-diretor deste Instituto, que tanto contribuiu para o desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovações deste País. O Inpe se solidariza com a família e amigos neste momento de tristeza e de luto.” Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

“Raupp foi uma figura permanente no cenário de ciência, tecnologia e inovação do País nos últimos 35 anos. Nas numerosas instituições que dirigiu, sua atuação foi sempre voltada para a busca de soluções de grandes problemas. Na direção do Inpe fortaleceu nossa autonomia na fabricação e testes de satélites e foi a grande liderança na criação do Parque Tecnológico de São José dos Campos, modelo desse tipo de organização no País.” Marco Antonio Zago, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

“Seu legado de realizações, muitas das quais beneficiaram direta e indiretamente o CNPEM, permanecerá em nossas memórias e concretamente no Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia e Inovação.” Antonio José Roque da Silva, diretor-geral do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM).

“A Anprotec se solidariza com a família e presta homenagens a esse ser humano espetacular, que por quatro décadas contribuiu profundamente com a ciência brasileira. Possuía uma visão muito à frente de seu tempo, não só cientificamente, mas também politicamente, deixando um legado sólido em todas as instituições pelas quais passou. Sem dúvidas uma das figuras mais importantes da Ciência, Tecnologia e Inovação deste País, que merece todo nosso respeito, admiração e reverências.” Rodrigo Mendes, diretor da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e coordenador executivo de Desenvolvimento de negócios internacionais do Parque Tecnológico São José dos Campos.

Jornal da Ciência