Notícia

Gazeta de Limeira online

Entendendo o Meio Ambiente

Publicado em 05 setembro 2010

Biodiversidade - é o conjunto de espécies da fauna e flora de uma região. Representa a diversidade de comunidades vegetais e animais que se inter-relacionam e convivem num espaço comum, que pode ser um ecossistema ou bioma. A preservação da biodiversidade é um dos mandamentos mais importantes dos ambientalistas.

Florestas - as florestas tropicais são verdadeiros santuários ecológicos, pois são fundamentais na preservação da natureza, garantindo a sobrevivência e a vida. Contudo, a agropecuária, a industrialização e a própria urbanização, indispensáveis para a vida humana, ao derrubar esses maciços vegetais, são responsáveis pela destruição da biodiversidade. Por essa razão, há uma enorme preocupação na preservação da floresta amazônica, pois a sua substituição por pastagens transforma a área em mono-cultura, que quebra o equilíbrio do ecossistema local.

Controle - as medidas de controle: legislação, licenciamento e fiscalização em conjunto constituem um tripé fundamental para a preservação e restauração florestal e da biodiversidade, bem como sua restauração. Entre as medidas de controle o Código Florestal Brasileiro, instituído pela Lei n.° 4.771/65, criando Áreas de Preservação Ambiental (APP) ao longo dos rios, nascentes e topos de morros e encostas é de fundamental importância para a preservação do meio ambiente no Brasil. Além disso, o código prevê ainda a Reserva Legal (RL), que significa a manutenção de 20% da área da propriedade florestada.

Corredor Ecológico - uma das metas atuais do governo estadual é a restauração matas ciliares ao longo dos rios, de forma a permitir o trânsito da fauna e assim propiciar condições para a sua procriação. Frutos da restauração de matas ciliares vêm sendo sentidos em todo canto, pela evolução da quantidade e diversidade da fauna; como o reaparecimento de diversas espécies de pássaros (tucano) e mamíferos (onça parda).

Marcha a ré - quando todos preocupados com a importância de preservar o meio ambiente, a comissão presidida pelo sr. Aldo Rebelo, ao concluir trabalho de revisão do Código Florestal, propõe verdadeiro decreto de morte da biodiversidade brasileira, particularmente ao reduzir a largura mínima da área de preservação permanente de 30 para apenas 15 metros para rios até 10 metros de largura (90% da rede hidrográfica brasileira tem largura até 5 metros). Trata-se de um retrocesso, que ocorre justamente quando a conscientização para os 30 metros já se estabelecia na conscientização de todos os segmentos da sociedade, inclusive entre os agricultores.

Cientistas - da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São (FAPESP), entidade que engloba a cúpula científica brasileira, reunidos no auditório da fundação para discutir o projeto de lei proposto pelo deputado Aldo Rebelo, concluíram que os impactos negativos na fauna brasileira serão redução e extinção de algumas espécies. Cerca de 70% dos mamíferos da fauna brasileira vivem em APPs.

Ignorância - estamos acostumados a deparar com agressões terríveis ao meio ambiente frutos da falta de conhecimento da população, bem como de interesses escusos. Em manifesto, o nobre deputado afirma que não haverá extinções e a biodiversidade não será afetada. Cabe a dúvida, se tal certeza é desconhecimento ou interesse eleitoreiro?

Prof. Dr. Dirceu Brasil Vieira

Diretor Técnico de SEMEA Engenharia Ambiental

dirceu@semeaambiental.com.br