Notícia

BN - Bahia Notícias

Ensaio clínico reduz envelhecimento celular com uso de hormônio masculino

Publicado em 23 junho 2016

Um estudo desenvolvido por pesquisadores brasileiros e norte-americanos descobriu que hormônios sexuais masculinos podem ser usados para estimular a produção da enzima telomerase, substância naturalmente encontrada no corpo humano e associada ao conceito de “elixir da juventude” celular. Testada em pacientes com doenças genéticas associadas a mutações no gene codificador da telomerase, como anemia aplástica e fibrose pulmonar, a estratégia se mostrou capaz de combater os prejuízos ao organismo causados pela deficiência da enzima. "Um dos processos associados ao envelhecimento é o encurtamento dos telômeros, estruturas existentes nas pontas dos cromossomos que servem para proteger o DNA, assim como o plástico na ponta dos cadarços. Toda vez que a célula se divide, os telômeros diminuem de tamanho, até um momento em que a célula não consegue mais se proliferar e morre ou entra em senescência. Mas a enzima telomerase é capaz de manter o comprimento dos telômeros intacto mesmo após a divisão celular", explicou Rodrigo Calado, professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) e membro do Centro de Terapia Celular (CTC), à Agência Fapesp. Na fase embrionária, em que todos os tecidos estão em formação, a telomerase está expressa em praticamente todas as células. Após esse período, apenas aquelas em constante divisão continuam sintetizando a enzima, como é o caso das células-tronco hematopoiéticas, que dão origem a diversos componentes do sangue. "A anemia aplástica é uma das doenças que podem ser causadas pela deficiência de telomerase. Ocorre um envelhecimento precoce das células-tronco da medula óssea e, consequentemente, produção insuficiente de glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas. O portador fica dependente de transfusões sanguíneas periódicas e mais suscetível a infecções", disse. A falta de telomerase também pode afetar o funcionamento do fígado (cirrose), pulmão (fibrose) e outros órgãos, além de aumentar o risco de alguns tipos de câncer em até 1,2 mil vezes. Embora os resultados do estudo indiquem ser possível reverter com o uso de drogas um dos fatores biológicos do envelhecimento, ainda não está claro se, em pessoas saudáveis, os benefícios do tratamento superariam os riscos, principalmente se o uso de hormônios sexuais estiver envolvido.