Notícia

Máquinas e Metais

Engenharia reversa não é para copiar, é para inovar

Publicado em 01 abril 2010

Inovação exige tecnologia, mas não apenas isso. Toda tecnologia precisa de pessoas capazes de desbravá-las, afim de aperfeiçoá-las constantemente para um desempenho melhor. Recentemente, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) divulgou uma notícia com o título Brasil domina tecnologia de usinagem em altas velocidades, relatando os avanços dos nossos pesquisadores (sob coordenação do professor Reginaldo Teixeira Coelho, da Escola de Engenharia de São Carlos, USP), o que nos levou a ser o 7º país integrante desse grupo.

Se por um lado, a HSM traz benefícios para acelerar a fabricação de moldes, por outro, a engenharia reversa auxilia o seu projeto e desenvolvimento. Indo mais além, os mesmos equipamentos que fazem a digitalização dos modelos podem ser empregados até para fazer a inspeção do molde final.

A engenharia reversa é o processo de reconstrução de um objeto que parte do modelo físico para chegar até o modelo virtual. O modelo físico pode ser um protótipo de um produto novo, ou um molde antigo que precisa ser recuperado. Na engenharia reversa, porém, como o próprio nome diz, o processo ocorre de trás para frente. Ou seja, o modelo físico já existe e é necessário criar o modelo virtual. Basicamente, são duas as etapas do processo: a digitalização (que é a captura de dados) e a reconstrução do modelo virtual (que é a criação do modelo CAD 3D).

Para saber mais sobre os equipamentos de digitalização, segue uma rápida definição sobre suas quatro principais categorias.

3D Laser scanners

Também conhecidos como digitalizadores a laser tridimensionais, são divididos em três grupos: digitalizadores 3D a laser para máquina fixa de medição por coordenadas (CMM), digitalizadores 3D para braços portáteis e digitalizadores 3D a laser do tipo stand-alone.

Os do tipo stand-alone estão sendo vistos como uma alternativa às máquinas de medição por coordenadas. O cabeçote de digitalização e as plataformas de movimentação são integrados por um software de controle ao sistema da máquina. O modelo a ser digitalizado pode ser colocado sobre uma mesa rotativa, para facilitar a obtenção das medidas tridimensionais.

Os sistemas para CMM fixa, por seu lado, geralmente oferecem melhor precisão em comparação com os sistemas para braços portáteis. Devido à sua elevada precisão, são usados principalmente para medições que envolvam moldes (para injeção de peças plásticas, por exemplo).

Por último, os sistemas para braço articulado são geralmente utilizados para medições em campo ou para peças com maiores dimensões. Entre as aplicações possíveis, incluem-se a medição de moldes de estampo ou forjado, moldes de sopro e de fundição.

Laser tracker

É um sistema que consiste basicamente em dois componentes: uma esfera sem nenhuma conexão por cabos, que pode tocar o modelo físico, e um receptor que identifica (ou persegue a esfera), informando as coordenadas do seu centro, que pode estar próximo ou a grandes distâncias. Tem aplicação dirigida nas atividades aeroespacial, do Exército, defesa e automotivo, por exemplo. A principal marca deste equipamento é a Leica, que foi comprada pela Hexagon.

Sistemas de fotogrametria

São equipamentos que trabalham com o princípio da fotografia em suas medições. Padrões como listras ou franjas são projetados no modelo, e comeras capturam essas imagens e fornecem as coordenadas tridimensionais. Esses sistemas são indicados para trabalhos a altas temperaturas ou quando há um ambiente instável, inclusive com vibração e movimento. Entre os setores de aplicação estão o Exército e sistemas de defesa, automotivo, aeroespacial, edificações e construção de navios.

Scanners de luz branca

Como o nome sugere, estes sistemas têm como princípio de funcionamento a projeção por luz branca. São rápidos e precisos na medição de grandes áreas, fazendo, ao mesmo tempo, um mapeamento adjacente e registro de referências (ou marcas), para garantir a precisão da varredura.

O mercado nacional já dispõe de eguipamentos de novíssima geração para a prática da engenharia reversa, impensáveis há poucos anos atrás. Alguns exemplos estão detalhados a seguir.

Multiíuncionalidade

Dentre os equipamentos de medição sem contato, vale destacar o sistema Optigo 200RE, fabricado pela empresa israelense Cognitens, modelo Optigo 200RE. Seu princípio de , no caso engenharia reversa, abrange escaneamento por luz branca, fotogrametria e projeção de luz estruturada. Ele é o único no mercado que permite a aquisição da nuvem de pontos em ambientes com vibração, graças à altíssima velocidade de captura dos pontos, levando apenas 0,001 segundo para isso. Sendo assim, é possível medir peças e ferramentas na linha de estamparia sem ter que removê-las para uma sala de medição. A alta capabilidade de medição sob diferentes condições de iluminação é outra vantagem. É comercializado pela Hexagon (http:// www.hexagonmetrology. com.br).

Portabilidade

O sistema Zscanner é uma solução versátil de digitalização ideal para quem precisa de portabilidade associada com facilidade de uso, pois não precisa de braço articulado. Está disponível

em quatro versões, com destaque para o modelo 700CX (que captura a cor da peça) e o modelo 800PX (que combina laser e fotogrametria para aumentar a precisão para até 50 Lim). O sistema Z800 possui três comeras que proporcionam digitalização de alta resolução e precisão que pode chegar a até 40 um. E comercializado pela Seacam (http:// www.seacam.com.br).

Produto nacional

No mercado desde 2007, a Spatium 3D (http:// www.spatium3d.com) é uma empresa brasileira especializada em produtos e serviços para a digitalização e medição tridimensional sem contato. Sediada em Campinas, São Paulo, a empresa iniciou suas atividades dentro da incubadora ParqTec, de São Carlos, onde criou o primeiro scanner 3D com tecnologia 100% nacional. As soluções desenvolvidas pela Spatium 3D aplicam-se a diversos setores, que vão da indústria aeronáutica e automobilística até centros de pesquisa de universidades e fabricantes de produtos odontológicos. Em busca da internacionalização, a empresa está abrindo canais de distribuição na Europa e Estados Unidos.

Portáteis pequenos

Fabricados pela empresa Canadense Creafrom e distribuídos no Brasil pela RGB Sistemas (http:// www.rgbservicos.com.br), os digitalizadores a laser linha Handyscan estão disponíveis em seis modelos. São sistemas portáteis de plataforma independente, que se autor referenciam com a operação em movimento. Podem ser carregados em uma pequena maleta como bagagem de mão. Digitalizam superfícies e objetos com ou sem cor e sem tocar na peça.

Uma estimativa da consultoria Frost&Sullivan (http://www.frost.com) aponta que em 2012 o mercado de digitalizadores

Spatium FMM: Finame financia a partir de R$ 180.000,0 movimentará em torno de US$ 615,2 milhões, contando com a participação mundial de 50 empresas. A consultoria revela ainda que os principais desafios deste mercado são: pressão para reduzir preços dos equipamentos, convencimento de clientes, normalização, diferenciação do produto, encontrar aplicações para nichos de mercado e maximizar a utilização do equipamento.

A mensagem desta edição fica para aqueles que imaginam a engenharia reversa como ferramenta para replicar produtos dos concorrentes: copiar não é negócio, inovar sim. Busque a inovação e a perfeição. Inovar-se a cada dia é buscar alternativas para se tornar melhor, crescer e sair na frente. A originalidade faz com que você acredite no seu potencial. E pessoas originais são a base do sucesso de produtos inovadores.