Notícia

Planeta Universitário

Enciclopédia de DNA

Publicado em 20 abril 2011


O projeto 'Encyclopedia of DNA Elements' (Encode) acaba de publicar um guia para auxiliar os cientistas a como utilizar os dados e recursos produzidos pelo projeto. O Encode é um projeto internacional lançado em 2003 pelo National Human Genome Research Institute (NHGRI), dos Estados Unidos, com o objetivo de encontrar todos os elementos funcionais do genoma humano. Todos os dados gerados pelo projeto são publicados rapidamente em bancos de dados públicos.O guia foi publicado nesta terça-feira (19/4) na revista PLoS Biology e, da mesma forma que os dados e softwares usados no projeto, estará disponí­vel no site encodeproject.org.

'O projeto Enconde exige a colaboração de muitas pessoas espalhadas pelo mundo que estão na vanguarda de suas áreas de pesquisa, para trabalhar de forma coordenada de modo a desvendar as funções do genoma humano', disse Richard Myers, presidente do Instituto de Biotecnologia HudsonAlpha, um dos membros do projeto.

O guia explica como os dados podem ser úteis na interpretação de associações entre nucleotídeos únicos e doenças, usando exemplos como o da relação entre o gene c-Myc e o câncer.

Os dados permitem que pesquisas sejam feitas em milhares de variantes identificadas em estudos de associação genômica ampla, enfocando questões relacionadas aos mecanismos por trás das suscetibilidades a determinadas doenças.

Cientistas que integram o projeto Encode estão aplicando 20 testes diferentes a 108 linhas celulares usadas comumente. O guia explica como encontrar os dados resultantes desses testes e também a aplicá-los em interpretações do genoma humano.

O guia mostra onde o RNA é produzido a partir do DNA, onde as proteínas se grudam ao DNA e onde partes do código genético humano são modificadas por marcadores quí­micos adicionais. Essas adições, na forma de proteínas ou outras substâncias quí­micas, são fundamentais para compreender como as diferentes células no corpo humano interpretam a linguagem do DNA, destacam os autores.

Mais informações: encodeproject.org.

Agência FAPESP