Notícia

Correio do Estado (Campo Grande, MS)

Empresas em defesa da Biodiversidade

Publicado em 17 maio 2011

Por Bruna Lucianer

Agora, proprietários de empresas de todo o país podem participar da criação e manutenção de uma agenda positiva sobre a conservação e a utilização sustentável da biodiversidade brasileira. Embora fundamental para os negócios, para a economia e para a sociedade, o tema ainda não entrou na agenda dos executivos e dos governos. Da biodiversidade depende a qualidade dos serviços ambientais que sustentam a vida humana neste planeta. Conservá-la e estabelecer regras para seu uso sustentável são tarefas imprescindíveis para a própria continuidade dos negócios. O que acontecerá se a água escassear ainda mais? E se o acesso aos recursos naturais for reduzido?

É imperativo que o governo brasileiro faça sua "lição de casa" e leve uma posição negociada com a sociedade a respeito do uso sustentável da biodiversidade. Como as empresas tiveram influência decisiva na adoção, por parte do governo federal, de metas de redução de carbono, que se transformaram na Lei de Mudanças do Clima, elas querem repetir o feito com a biodiversidade.

O Movimento Empresarial pela Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade (MEB) já lançou a Carta Empresarial pela Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade, documento por meio do qual as empresas participantes declaram voluntariamente uma série de compromissos em favor da biodiversidade brasileira e de levar ao governo propostas com esse mesmo objetivo. A carta traz algumas propostas do meio empresarial, como a de assumir os compromissos voluntários de:

- incorporar nas estratégias de negócio os princípios da Convenção da Diversidade Biológica (CDB);

- assegurar que as cadeias produtivas façam o mesmo;

- contribuir para a preservação das comunidades indígenas e tradicionais.

Por outro lado, a carta propõe ao governo brasileiro, entre outras coisas:

- estabelecer metas claras e objetivas sobre biodiversidade a serem atingidas até 2020; e

- articular com outros países cooperação global para a valoração dos serviços dos ecossistemas, com o propósito de promover mecanismos econômicos para a conservação e restauração da biodiversidade.

Como participar

Para fazer parte do MEB, basta visitar o site do Instituto Ethos (www.ethos. org.br) e preencher o termo de adesão. No termo, a empresa declara não estar inscrita no Cadastro de Trabalho Escravo do Ministério do Trabalho e Emprego, no Cadastro de Áreas Embargadas pelo Ibama e no Cadastro de Empresas Inidôneas ou Suspensas da Controladoria Geral da União. O termo, preenchido, deve ser encaminhado por fax ao Instituto. No último documento divulgado pelo Instituto Ethos, consta o nome de 10 Organizações e 61 empresas membros do Movimento, entre elas, a única sul-mato-grossense é a Natureza em Foco, do biólogo José Sabino.

"Em 10 anos, o programa gerou bons frutos para o nosso estado. Formamos 170 meses, 110 doutores e 80 pós-doutores. Produzimos um conjunto de mapas de áreas de conservação e restauração no Estado. Porém, falhamos na educação, não conseguimos mostrar para a população a importância da conservação da biodiversidade"

Carlos Joly (Coordenador do programa Biota da Fapesp)