Notícia

Abrava - Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento

Empresas ainda usam método informal na gestão de portfólio

Publicado em 19 agosto 2014

Agência FAPESP – 13/08/2014  Por Claudia Izique

 

Pouco mais de um terço das indústrias brasileiras investem no desenvolvimento de novos produtos. De acordo com a Pesquisa de Inovação (Pintec), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de inovação das indústrias brasileiras era de 35,6% em 2011 – abaixo dos 38,1% de 2008.  As indústrias atribuem esse baixo desempenho principalmente aos elevados custos da inovação (81,7% delas) e ainda aos riscos econômicos (71,3%), de acordo com a Pintec 2011. De fato, os custos e riscos inerentes ao desenvolvimento de novos produtos impactam o retorno sobre o investimento. “O cálculo financeiro, em projetos de produtos, no entanto, deve ser ponderado de forma a contemplar também os efeitos da contribuição de inovações mais ousadas e considerando a competitividade da empresa no longo prazo”, diz Daniel Jugend, professor do Departamento de Engenharia de Produção da Faculdade de Engenharia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Bauru. Fonte: http://agencia.fapesp.br/19596