Notícia

Usinagem Brasil

Empresa de SP no ranking das mais inovadoras do mundo

Publicado em 04 março 2012

(04/03/2012) - Uma empresa de Piracicaba, no interior de São Paulo, está entre as 50 companhias mais inovadoras do mundo, segundo o ranking da revista norte-americana de tecnologia Fast Company. Trata-se da Bug Agentes Biológicos, start up fundada por estudantes de pós-graduação da Esalq - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da USP.

A empresa de controle biológico foi apontada pela revista norte-americana como a 33ª mais inovadora mundialmente, na lista encabeçada por Apple, Facebook e Google. A Bug foi considerada pela publicação a mais inovadora do Brasil, à frente da Petrobras e da Embraer.

A Bug produz em massa vespas para combater larvas e percevejos que ameaçam lavouras de cana-de-açúcar e de soja. No ano passado, a empresa começou a aperfeiçoar uma maneira de liberar as vespas que produz em plantações de cana-de-açúcar da mesma forma como os inseticidas são pulverizados sobre lavouras da cultura por meio de aviões.

A Bug desenvolveu soluções a partir de um dos métodos mais antigos utilizados pela humanidade para controlar pragas agrícolas, em que se produz em grande escala insetos programados para atingir e controlar seus inimigos naturais no campo, evitando infestações e danos às plantações.

A empresa se destaca no setor de controle biológico ao produzir parasitoides específicos para controlar ovos de pragas, o que não costuma ser feito pelos insetos produzidos pelas empresas do setor, em sua maioria estrangeiras. "Geralmente, as outras empresas de controle biológico produzem parasitoides que controlam lagartas, insetos que já nasceram, que atacam a planta e que só então serão controlados. Nós produzimos parasitoides que controlam o ovo da lagarta ou do percevejo, impedindo que eles venham sequer nascer e causar prejuízos", disse Alexandre de Sene Pinto, um dos fundadores e sócio da empresa.

Além de atender o mercado brasileiro, a empresa exporta insetos para Europa e Estados Unidos. "Hoje, a Bug conta com alguns investidores, como o BNDES, por meio do Fundo Criatec, e se transformou de firma limitada em sociedade anônima", disse Sene Pinto.

Fonte: Agência Fapesp