Notícia

São Carlos em Rede

Empresa de São Carlos cria tecnologia interativa para treinamento de profissionais da área de segurança

Publicado em 28 maio 2011

Boa parte da população brasileira já tem noção da importância dos profissionais que trabalham com segurança pública e privada, realizarem treinados que permitam que os mesmos possam exercer de forma adequada suas rotinas de trabalho do dia-a-dia. Contudo, como operacionalizar este treinamento de forma a atender um custo/benefício que seja plausível. É fato que treinar profissionais de segurança é custoso e muitas vezes de difícil operacionalização. Além disso, é fundamental realizar, além de um treinamento físico e tático, um treinamento envolvendo a postura e a verbalização desse profissional. Para treinar as questões do físico e o tático existem diversas técnicas incorporadas nas forças policiais e segurança privada que vão desde destreza de tiros com arma de fogo até defesa pessoal. Contudo para o treinamento da postura e verbalização, é fato; existem poucas ferramentas e métodos que possam ser eficientes para um grande número de profissionais que precisam praticar diariamente os conceitos envolvidos com estas questões.

Quando se pensa, por exemplo, em um efetivo de milhares de profissionais de segurança no Brasil, isto se torna uma equação complexa e de difícil solução. Como treinar de forma eficiente a questão da postura e verbalização para que possam reagir satisfatoriamente as várias situações da rotina diária de um profissional de segurança. Essa dinâmica de atividades requer que as ferramentas sejam inovadoras e que sejam baseadas em tecnologias interativas para poder atender de forma mais eficiente esta escalabilidade crescente.

Diante dessa oportunidade, a empresa Cientistas de São Carlos (SP) desenvolveu com o apoio financeiro da FAPESP, FINEP e CNPq, o primeiro sistema interativo para treinamento de segurança baseado em reconhecimento de voz e cenários 3D com um custo acessível para o mercado brasileiro. O sistema busca "transportar" os usuários para uma realidade mais próxima do cotidiano de trabalho, permitindo que os mesmos possam treinar suas atitudes e ter uma formação mais adequada, permitindo assim, que desempenhem suas funções de forma mais segura e eficaz. A atitude verbal de um profissional na área de segurança deve ser estimulada e para isto, é importante simular as potenciais situações e na ocorrência dessas situações façam com que ele tenha atitude correta diante do ocorrido. Isto deve ser treinamento periodicamente. Como o corpo, a mente deve ser estimulada e treinada para reagir corretamente.

Para o diretor de tecnologia da Cientistas, Antonio Valerio Netto que é doutor em computação pela USP com MBA em Marketing pela FUNDACE/USP, "um sistema de treinamento baseado em simuladores prove um grau de assimilação muito maior do conhecimento transmitido pois é uma tecnologia que promove estímulos visuais, sonoros e interativos, o que viabiliza um ganho de qualidade no aprendizado do usuário". Para Rodrigo Soto, diretor da BlackSpecialOps, empresa especializada em equipamentos para área de segurança e que por 14 anos trabalhou nas áreas de gestão de risco e de segurança nacional na Australiana, "os profissionais brasileiros possuem poucas oportunidades de treinar rotineiramente a abordagem oral devido a ausência de uma ferramenta de trabalho prática e que permita escalabilidade, isto é, treinar muitas pessoas em um curto período de tempo para não tirar estes profissionais por longo tempo de suas rotinas de trabalho diária". Rodrigo salientar que treinar a atitude de um profissional de segurança é fundamental para estabelecer a ordem e a sensação de segurança que vai ser importante para o Brasil principalmente devido aos eventos esportivos de grande magnitude que ocorrerá no país nos próximos anos. Para ele, existe uma grande demanda e pouco tempo para treinar todos os profissionais que estarão envolvidos na segurança dos eventos.