Notícia

Portal Áfricas

Empresa de Araraquara tem projeto aprovado pela Fapesp

Publicado em 11 agosto 2014

O empresário Leandro Fernandes, de 37 anos de idade, proprietário da Jet Química, que funciona desde 2012 na Incubadora de Empresas de Araraquara, construída no governo do prefeito Marcelo Barbieri, teve aprovado o seu projeto empresarial junto à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), na modalidade fase 1, do edital em Pesquisa Inovativa de Pequenas Empresas (PIPE). O projeto consiste na transformação de casca de arroz em sílica.

A sílica é usada pela indústria farmacêutica, de cosméticos, de tintas e cimento. O descarte eficiente dos resíduos da queima da casca de arroz é um aliado forte para qualidade do meio ambiente.

Na quarta-feira (6), Leandro Fernandes reuniu-se com o supervisor do projeto professor doutor Ricardo Bonotto e o gerente executivo Lucas Campanha, ambos da equipe de gerenciamento da Incubadora, para avaliar o andamento do projeto.

“A pesquisa caminha para a segunda fase e necessitaremos captar mais recursos para instalação da caldeira e outros equipamentos para a estação de biomassa piloto” adianta Leandro.

Para o professor Ricardo Bonotto, desde a criação da Incubadora em Araraquara, este é o primeiro projeto aprovado pela Fapesp, indicando um novo direcionamento do programa voltado para a área tecnológica e inovativa.

“A idéia do Leandro surgiu no meio acadêmico e passou para o meio empresarial, caracterizando a mesma como uma spin-off. Ele é químico, formado na Unesp local e o conhecimento empírico está cientificamente evoluindo para uma produção industrial, visando à geração de emprego e renda para o município em um futuro próximo. É uma grande conquista para todos nós”, avalia otimista Bonotto.

Além da Jet Química, outras duas empresas estão com processos em tramitação na Fapesp, trata-se da Led Visual Médica e da Power Flow, sendo que os resultados deverão sair ainda nos próximos meses.

Bonotto conclui que o Programa de Incubação de Araraquara estará cada vez mais firmando parcerias com as universidades locais, captando novos spin-off.

De acordo com o prefeito Marcelo Barbieri, que recentemente recebeu o selo do Sebrae de Prefeito Empreendedor, a Incubadora  recebe todo apoio da administração para fomento à pesquisa, produção industrial e aprimoramento dos serviços.

“Nosso Parque Industrial é diversificado e a Incubadora oferece apoio técnico para que possamos avançar com eficiência e tecnologia, gerar empregos e divisas com a formalização dos negócios. Conseguimos um grande avanço na área tecnológica nos últimos anos”, ressalta o prefeito.

Casa maior

Das 17 empresas abrigadas na Incubadora, seis são de base tecnológica, que representam 35,30%, e 11 de base tradicional, 64,70%. A maioria, após a graduação, trocará os 60 metros quadrados atuais por uma área superior a 1.000 m² e esta demanda vem ao encontro do X Distrito Industrial, em construção na zona leste da cidade.

Segundo o secretário municipal de Tecnologia, Turismo e Desenvolvimento Sustentável, Antonio Martins, o novo distrito terá 29 lotes de 2.500 a 3.000 m² para empresas de pequeno porte. “Os lotes são ideais para pequenas empresas, inclusive as graduadas na Incubadora, que necessitam de apoio para início da produção em série. As pequenas empresas juntas geram o maior número de empregos na região de Araraquara”, observa Martins.

A Incubadora de Empresas de Araraquara está localizada na Avenida Jorge Fernandes Mattos, 311, região sudeste.