Notícia

Revista TAE - Tratamento de água e efluentes

Embrapii vai destinar R$ 29 milhões para pesquisas em biotecnologia

Publicado em 06 janeiro 2016

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, vai destinar R$ 29 milhões para o desenvolvimento de projetos de pesquisa em biotecnologia de três instituições: o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em São Paulo; o Núcleo Ressacada de Pesquisa em Meio Ambiente da Universidade Federal de Santa Catarina (Rema/UFSC) e a Embrapa Agroenergia, no Distrito Federal.

O investimento total previsto nos projetos será de R$ 87,7 milhões, divididos entre a Embrapii, o centro de pesquisa e a empresa interessada no projeto.

O IPT vai focar seu trabalho no escalonamento de processos biotecnológicos e na busca da otimização do processo produtivo da indústria. O Rema aplicará biotecnologias ambientais na recuperação de áreas contaminadas, associadas ao desenvolvimento de biotecnologias de monitoramento e de transformação de resíduos do setor industrial em novas matérias-primas, agregando valor comercial aos resíduos. A Embrapa Agroenergia atuará na área de bioquímica de renováveis, utilizando microrganismos para a produção de biocombustíveis.

Os três institutos credenciados pela Embrapii apresentaram planos de ação e passaram por avaliações para comprovar experiência no desenvolvimento e realização de projetos de inovação entre 2012 e 2014, com arrecadação total de, pelo menos, R$ 5 milhões.

Criada em 2013, a Embrapii fomenta a inovação por meio de contratos de parcerias entre empresas e instituições de pesquisa. A entidade disponibiliza até um terço do valor total do projeto –o restante é dividido entre empresa e institutos parceiros. Os recursos não são reembolsáveis.