Notícia

Cultivar

Embrapa Pecuária Sudeste recebe pesquisador da França

Publicado em 17 dezembro 2010

A Embrapa Pecuária Sudeste recebeu nesta sexta-feira (17) a visita do pesquisador francês Bertrand Langlois, do Institut National de la Recherche Agronomique (Instituto Nacional de Pesquisa Agronômica) - INRA. Neste semestre ele ministrou, na Unesp (campus de Jaboticabal), parte da disciplina "melhoramento de eqüinos". Ele será recepcionado pela chefe de Comunicação, Patrícia Menezes Santos e pela pesquisadora Luciana Regitano.

O INRA é um dos órgãos que na França desenvolvem pesquisa agrícola, com trabalho similar ao da Embrapa. O INRA é voltado para as regiões de clima temperado, no território metropolitano francês. Outro órgão de pesquisa é o Centre de Coopération Internationale en Recherche Agronomique pour le Développement (Centro de Cooperação Internacional de Pesquisa Agronômica para o Desenvolvimento) - CIRAD, voltado para as áreas da França localizadas em zonas tropicais, como Guiana (limítrofe com o Brasil), Martinique, Réunion, além dos muitos países africanos de língua francesa.

Ambos os institutos mantem intenso intercâmbio com o Brasil, desenvolvem projetos comuns e seus escritórios em Brasília compartilham as mesmas instalações. O intercâmbio se dá principalmente em melhoramento vegetal, gestão de recursos naturais e desenvolvimento sustentável, além de desenvolvimento regional rural, principalmente na Amazônia e nos Cerrados.

O INRA tem acordos com a Embrapa, Universidade de Brasília, Universidade de São Paulo (USP) e com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), principalmente nos setores de recursos naturais (águas, solo e biodiversidade). O Labex Embrapa França se localiza nas dependências do CIRAD em Monpellier, no sul da França.

Um dos principais trabalhos, realizado na década de 1990, se deu com novas variedades de palma (dendê), trazidas da Costa do Marfim, na África Ocidental, para a Amazônia. Sementes dessas novas variedades foram depois exportadas pela Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus, AM) para o Peru e para o Equador. Nessa mesma década e no início dos anos 2000 foi implantado também um trabalho de desenvolvimento rural integrado, no município de Silvânia, em Goiás, dirigido a agricultores familiares.