Notícia

Revista Aviação Notícias

Embraer mantém o foco nas questões ambientais

Publicado em 04 novembro 2011

São Paulo - SP, Brasil, novembro de 2011 - A Embraer, a Boeing e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) anunciaram em 26/10 planos para um programa de desenvolvimento de longo prazo de um biocombustível para aviação. O projeto compreende um estudo com duração de nove a 12 meses que poderá resultar na criação do primeiro centro de pesquisas de biocombustíveis no Brasil e complementa diversas ações da Embraer, em parceria com outras empresas, para contribuir com o compromisso da indústria de aviação em reduzir a emissão de poluentes e seus objetivos de sustentabilidade de longo prazo.

Em agosto de 2011, a Embraer e a GE realizaram uma série de vôos de teste com um jato EMBRAER 170 para avaliarem as características operacionais da aeronave e do motor CF34-8E utilizando o combustível HEFA (Ésteres e Ácidos Graxos Hidroprocessados) em diversas condições de vôo. Os ensaios em vôo confirmaram que os planos técnicos e procedimentos são robustos, fornecendo resultados positivos para o teste de outros combustíveis produzidos a partir de biomassas e processos tecnológicos.

Em julho de 2011, a Embraer se aliou à Boeing e ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para, juntos, financiarem uma análise de sustentabilidade para produção de um combustível renovável para jatos desenvolvido pela Amyris, Inc., a partir da cana-de-açúcar brasileira. O estudo coordenado pelo ICONE, uma incubadora brasileira de pesquisas, e supervisionado pelo World Wildlife Fund (WWF), avalia condições ambientais e mercadológicas associadas ao uso deste combustível e tem previsão para ser concluído no início de 2012.

Em maio de 2010, como parte dos esforços para promover iniciativas públicas e privadas que busquem o desenvolvimento e a certificação de biocombustíveis sustentáveis para a aviação, a Embraer mobilizou diversos organizações do país, como companhias aéreas, empresas de biotecnologia e produtores de biomassa, para a criação da Aliança Brasileira para Biocombustíveis de Aviação (ABRABA).

Em novembro de 2009, a Embraer, a GE, a Amyris e a Azul assinaram um Memorando de Entendimentos para avaliarem os aspectos técnicos e de sustentabilidade do combustível renovável da Amyris para jatos. O primeiro ensaio em vôo utilizando este combustível em um E-Jet da Azul com motores GE está previsto para o segundo trimestre de 2012. Para mais informações sobre as iniciativas da indústria de aviação para reduzir seus impactos ambientais, visite: www.aviation.aero.