Notícia

Jornal de Piracicaba online

Em nota, Fapesp responde a críticas feitas por Alckmin

Publicado em 29 abril 2016

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Conselho Superior da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) emitiu uma nota nesta quinta-feira (28) em resposta aos comentários do governador Geraldo Alckmin (PSDB) e defendeu que "algumas pesquisas não se realizam para chegar a resultados práticos, mas sim para tornar as pessoas e as sociedades mais sábias".

Segundo o governador de São Paulo, o órgão viveria em uma "bolha acadêmica desconectada da realidade" e financiaria "estudos que muitas vezes não têm nenhuma serventia prática".

Em nota, a Fapesp afirmou que, por determinação constitucional, deve apoiar o desenvolvimento científico e tecnológico em todas as áreas do conhecimento.

"Pela natureza intrínseca da ciência, resultados práticos de diferentes pesquisas podem se verificar em diferentes prazos, de maior ou menor extensão. Algumas pesquisas não se realizam para chegar a resultados práticos, mas sim para tornar as pessoas e as sociedades mais sábias e, assim, entenderem melhor o mundo em que vivemos, o que é uma das missões da ciência", diz a nota.

A nota diz ainda que o apoio à pesquisas com aplicabilidade prática tem recebido mais da metade dos recursos destinados às atividades-fim da fundação. Nos últimos três anos, esse tipo de pesquisa levou 52% da verba.

Por determinação legal, 95% do orçamento anual da Fapesp são destinados ao financiamento de pesquisas e é vedado à fundação assumir encargos externos permanentes de qualquer natureza, inclusive salários.

O comunicado termina dizendo que a Fapesp, "com a autonomia de que desfruta constitucionalmente, continuará obedecendo aos preceitos legais, atendendo às demandas de financiamento da pesquisa em todas as áreas do conhecimento científico e tecnológico" para contribuir com o "desenvolvimento socioeconômico do Estado de São Paulo e do Brasil, como vem fazendo diligentemente em seus mais de 53 anos de existência".