Notícia

O Norte online

Em busca de conhecimentos assentados se empenham em sala de aula

Publicado em 12 setembro 2008

O edital para a formação dos INCTs- Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia foi aberto e está disponível no (www.cnpq.br). O programa terá R$ 270 milhões do governo federal, nos três primeiros anos, e poderá contar com recursos totais de R$ 435 milhões, se somadas a participação da Capes, das fundações de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), do Rio de Janeiro (Faperj) e de São Paulo (Fapesp).

A formação envolve 50 assentados que estudam, na etapa atual, o primeiro módulo do curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, oferecido pela Unimontes- Universidade Estadual de Montes Claros.

Para ingressar no curso de Licenciatura em Pedagogia, os alunos precisaram passar por um processo seletivo, que incluiu provas de Língua Portuguesa, Literatura Brasileira, Geografia e História. Ao todo, 290 candidatos concorreram às vagas para o novo curso em Montes Claros.

O assentado, Heli Alves da Silva (48), e sua filha, Mariana Mesquita Alves da Silva (20), ocupam duas dessas vagas na mesma turma. “Eu incentivei ela porque meu sonho era ver todos os meus filhos na faculdade”, revela.  Ambos são moradores do PA- Projeto de Assentamento Betinho, em Bocaiúva. Heli diz que ele e Mariana se esforçaram muito para ingressarem na faculdade. Estudamos particular, sem cursinho, nem nada, debaixo de um pé de árvore lá na roça, conta.

As aulas deste primeiro módulo serão oferecidas em período integral, até o dia 06 de setembro deste ano. Até a formatura, prevista para 2012, os alunos deverão cursar outros sete módulos que fazem parte do chamado tempo escola. Além disso, participarão das atividades do tempo comunidade. Nesta etapa, são realizados, a cada dois meses e com duração de três dias, eventos como seminários, palestras e reuniões para acompanhamento dos alunos. Este cronograma, desenvolvido especialmente para o programa de educação no meio rural, visa permitir que os trabalhadores rurais conciliem suas atividades acadêmicas com os trabalhos no campo.

Além dos assentados da reforma agrária, outros dez trabalhadores da agricultura familiar também estão matriculados. A abertura das vagas aos trabalhadores que não são beneficiários da reforma agrária foi possível a partir de um convênio entre o programa e a Fetaemg (Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Estado de Minas Gerais). Caberá à federação financiar custos como alimentação e material didático dos alunos, enquanto o Incra e a Unimontes serão responsáveis pelo o corpo docente e a infra-estrutura.

O secretário-adjunto de Ciência e Tecnologia de Minas Gerais, Evaldo Vilela, participa do comitê de coordenação do programa. De acordo com ele, a expectativa é a formação de 45 a 60 INCTs no Brasil, sendo a maioria deles induzidos. Cinqüenta por cento dos recursos do edital serão concedidos aos institutos que irão atuar em biotecnologia, nanotecnologia, tecnologias da informação e comunicação, saúde, biocombustíveis, energia elétrica, hidrogênio e fontes renováveis de energia, petróleo, gás e carvão mineral, agronegócio, biodiversidade e recursos naturais, Amazônia, semi-árido,mudanças climáticas, programa espacial, programa nuclear, defesa nacional, segurança pública, educação, mar e antártica e inclusão social. O restante será utilizado para apoiar as melhores propostas da demanda espontânea de todas as áreas.

Incentivo à pesquisa

Os INCTs substituem os Institutos do Milênio, do CNPq/MCT- Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, e terão três missões: incentivo à pesquisa, formação de recursos humanos e transferência de conhecimentos. Esses institutos serão voltados para a inovação tecnológica e irão possuir, cada um, a instituição sede em conjunto com uma rede de associados.

Os institutos deverão ser caracterizados por uma área ou tema de atuação bem definido na fronteira da ciência ou tecnologia ou em áreas estratégicas do Plano de Ação em Ciência, Tecnologia e Inovação de 2007-2010. Os objetivos dos institutos incluem a busca por  excelência internacional, a promoção da educação científica, integração do Sistema Ciência e Tecnologia com o Sistema Empresarial, desenvolvimento da ciência de ponta e/ou pesquisa tecnológica capaz de promover a inovação e o equilíbrio regional do país com base no conhecimento. O CNPq receberá propostas até o dia 18 de setembro e o resultado está previsto para 17 de novembro deste ano.