Notícia

Catraca Livre

Ela veio de escola pública e hoje atua como professora no ITA

Publicado em 17 março 2017

Fernanda Pereira, de 31 anos, estudou a vida toda em escolas públicas de Birigui (SP) e hoje faz parte da pequena parcela de professoras do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica), em São José dos Campos (SP). Dos 191 docentes da instituição apenas 29 são mulheres, ou seja, 15% do total.

De família humilde, seu pai é eletricista e sua mãe dona de casa, Fernanda driblou a falta de condições financeiras e durante o ensino médio procurou um cursinho pré-vestibular comunitário. Foi a primeira pessoa de sua família a entrar na universidade pública.

Dali em diante seu currículo só deslanchou: se formou em matemática na Unesp (Universidade Estadual Paulista); e emendou um mestrado e doutorado na mesma disciplina na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Ela começou a dar aulas no ITA aos 28 anos após ser aprovada em 2º lugar no concurso público.

Já no primeiro ano da universidade Fernanda fez iniciação científica e se aprofundou na pesquisa sobre álgebra. “Consegui uma bolsa Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) para passar seis meses em Paris, pesquisando com um dos maiores nomes da área, o professor David Hernandez”, disse ela em entrevista ao G1.

A jovem professora finalizou o doutorado na Université Paris Diderot e afirmou que aprimorou suas técnicas e que seu trabalho evoluiu bastante. Depois de conquistar o cargo no ITA, agora ela quer dar voos mais altos e pretende fazer pós-doutorado no exterior. O mundo é seu, Fernanda!