Notícia

Jornal do Commercio (PE) online

eFarms interligará propriedades rurais com custo acessível

Publicado em 15 maio 2010

Depois de estudar o problema de conectividade à internet no meio agrícola, um grupo de pesquisadores do Instituto Virtual de Pesquisas FAPESP - Microsoft desenvolveu o projeto eFarms, Uma Estrada de Mão Dupla de Pequenas Propriedades Rurais para o Mundo em Rede. Coordenado pela professora Claudia Maria Bauzer, da Universidade de Campinas Unicamp, o projeto consiste no desenvolvimento de softwares de baixo custo para a comunicação de dados entre propriedades rurais.

A finalidade é apoiar pequenos produtores em decisões na área de planejamento e acompanhamento de safra, explica Claudia Bauzer. O trabalho conta com a parceria da Cooperativa de Cafeicultores de Guaxupé (Cooxupé), que tem cerca de 11 mil associados em 14.500 propriedades rurais nos Estados de São Paulo e Minas Gerais. A ideia básica do projeto é instalar sensores nas fazendas de café dentro e fora do solo. Esses sensores poderão captar informações sobre o local, como características do tempo, além de produção ou variações meteorológicas.

Depois, serão retransmitidos por antenas para a rede de comunicação comandada por um servidor central, que, nesse caso, será instalado na sede da cooperativa. Em posse das informações, o servidor principal poderá cruzar os dados de cada propriedade. Com esse conteúdo, os agricultores poderão aprimorar as atividades do ciclo de vida de culturas, desde a decisão do que plantar até estratégias para organizar a colheita.

O processo é um ciclo. Depois de termos os dados, eles irão para a central e voltarão para as fazendas de café como estratégias, transformando-se, no futuro, em ações , diz Claudia Bauzer. Embora desenvolvido para fazendas de café, o sistema foi testado nas plantações de milho da própria Universidade de Campinas. No momento, o projeto já está sendo implantado em quatro fazendas da cooperativa como experiência de campo. Ainda não sabemos quando o projeto será oferecido aos outros agricultores. Tudo vai depender desse teste e, principalmente, do custo final do trabalho , explica a pesquisadora. M.A.