Notícia

Agência USP de Notícias

EEL desenvolve novo chope, feito de arroz preto

Publicado em 20 setembro 2007

Uma bebida com sabor diferenciado e com tonalidade acastanhada — algo entre a cerveja "bock" e a puro malte. Assim é o novo chope desenvolvido por pesquisadores da Escola de Engenharia de Lorena (EEL), que será degustado pela primeira vez neste sábado (22), a partir das 12h.

O novo chope pretende proporcionar aos apreciadores e consumidores uma nova opção e percepção sensorial. O arroz preto, originário da China, é uma variedade exótica do grão pouco conhecido no Brasil, mas que tem se revelado com alto potencial de mercado. Comparado ao arroz tradicional, possui mais proteínas e fibras, dez vezes mais compostos fenólicos, além de maior maciez e aroma e sabor acastanhados.

Durante o beneficiamento do grão — que é vendido apenas na qualidade gourmet —, os produtores observavam perdas de 25 a 35%. Todos os resíduos, no entanto, passaram a ser utilizados na pesquisa desenvolvida pelo professor João Batista de Almeida e Silva e seu aluno de mestrado Cláudio Marcelo Andrade.

O docente dispõe de uma Planta Piloto na EEL para produção de chope com capacidade de 200 litros, e viu nos grãos de arroz quebrados uma oportunidade para obtenção de uma bebida diferenciada, buscando agregar valor ao produtor de arroz. 

O próximo passo será transformar o chope lorenense em cerveja. Para isso, Almeida e Silva acaba de ter um projeto aprovado pela FAPESP para complementação da Planta Piloto. Será necessário adquirir um pasteurizador, uma vez que a diferença entre o chope e a cerveja é exatamente a pasteurização "Pode-se entender que chope é a cerveja não pasteurizada e cerveja é o chope pasteurizado" explica o pesquisador.

Durante o lançamento, será realizado um teste de análise sensorial da bebida. Estarão presentes ao evento representantes da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios - Regional de Pindamonhangaba (APTA), que doaram o arroz preto para as pesquisas.

Com informações da Assessoria de Imprensa da EEL