Notícia

Portal do Governo do Estado de São Paulo

Educação abre inscrição para bolsas de mestrado e doutorado

Publicado em 08 outubro 2008

Desde o dia 1o deste mês estão abertas as inscrições destinadas às bolsas de mestrado ou doutorado, em São Paulo. Os aproximadamente 130 mil professores efetivos, os 5,5 mil diretores e os 1,2 mil supervisores da rede estadual de ensino poderão inscrever-se, até o dia 31, desde que seguidas as regras do programa.

O projeto da Secretaria Estadual da Educação, chamado Bolsa Mestrado, dará R$ 790 por mês a professores selecionados para ganhar qualificação. As inscrições serão feitas, anualmente, em maio, junho, novembro e dezembro. Neste ano, excepcionalmente, ocorrerão em outubro.

Todos os professores da rede estadual que estiverem matriculados em cursos de especialização, como mestrado e doutorado, podem concorrer, com base nas seguintes regras: não pode haver acúmulo de cargo ou recebimento de outro tipo de incentivo por meio de bolsa (de qualquer órgão); o interessado deve ter projeto aprovado pela universidade, na área de sua atuação na rede estadual (por exemplo, Estatística para professores de Matemática), e pela secretaria; deve ser membro do quadro do magistério, efetivo e estável (ter passado pelo estágio probatório); além disso, é preciso estar distante de aposentadoria cinco ou nove anos, para mestrado ou doutorado, respectivamente.

Tempo de dedicação – Inicialmente, há 700 vagas. O tempo dedicado pelo servidor ao mestrado ou doutorado deve ser mantido em seguida na rede estadual. Se o professor, por exemplo, estudar por dois anos, deve ficar na rede por pelo menos dois anos após a conclusão. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) avaliará os projetos dos candidatos. O servidor que conseguir o benefício deve concluir o mestrado em até 24 meses, prorrogáveis por mais seis. A bolsa de doutorado tem a validade de 48 meses, prorrogáveis por mais seis.

O cadastramento dos interessados ocorrerá via Internet, com link no site www.educação.sp.gov.br. O candidato terá de formalizar sua inscrição encaminhando a documentação via sedex ou indo pessoalmente à Diretoria de Ensino de sua escola. Será preciso apresentar cópias da ficha cadastral preenchida na Internet, RG, CPF e do último holerite; declaração de tempo de serviço efetivo e distância da aposentadoria; declaração de horários de trabalho e local de exercício; declaração da instituição de ensino superior de que o curso é reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes); declaração de aprovação no processo da instituição de ensino; e cópia do termo de compromisso disponível no site.

Novidade na rede estadual: aulas sobre o problema da pirataria

Combater a pirataria se aprende na escola. Com esse lema, a Secretaria de Estado da Educação lança neste mês o projeto Escola Legal, que pretende alertar crianças e jovens do ensino fundamental a respeito do problema da pirataria. O projeto-piloto, em parceria com a Câmara Americana do Comércio (Amcham), pretende, por meio de ações educativas, conscientizar a comunidade escolar sobre os problemas causados pela pirataria. Os professores da rede estadual estão sendo capacitados.

O projeto pretende atingir inicialmente 4,5 mil alunos de 15 escolas estaduais de tempo integral da capital. A previsão é de que seja ampliado para as demais 480 escolas de tempo integral ao longo do ano que vem.

Temas como ética, valores, pensamento coletivo e os impactos que a pirataria traz à sociedade devem ser discutidos com os estudantes da rede estadual.

Da Secretaria da Educação