Notícia

Idea Sustentável

Edital da FAPESP e Fundação Grupo Boticário oferece R$ 5 mi para projetos ambientais

Publicado em 03 abril 2014

Qual o impacto das mudanças climáticas para a biodiversidade e como se adaptar a eles, reduzindo seus impactos ou eliminando-os? Essas são as principais questões que uma recém-lançada chamada pública de apoio a projetos procura responder.

 

Promovida em conjunto pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), ela disponibilizará R$ 5 milhões para projetos com esses focos, realizados por instituições paulistas e que tenham duração de até 48 meses. Projetos de instituições de outros estados, em parcerias com instituições paulistas também serão contemplados.

 

As inscrições podem ser feitas até o próximo dia 11 de abril por meio do site www.fapesp.br e a seleção das propostas será realizada por análises de mérito e comparativas. A chamada pública tem dois focos principais: um que abrange cenários climáticos futuros e seus impactos sobre a biodiversidade; e outro relacionado ao monitoramento de espécies do chamado Lagamar e seus habitats, incluindo ambientes continentais e marinhos, considerando suas variáveis climáticas.

 

Estuário de vida marinha é região prioritária

 

Conhecido como Lagamar, o Complexo Estuarino-Lagunar Iguape-Cananéia-Paranaguá será priorizado, sendo que o objetivo da chamada pública é selecionar pesquisas realizadas em seu interior e área de entorno. Considerado um dos maiores berçários de vida marinha do mundo, o Lagamar localiza-se entre o litoral sul de São Paulo e o litoral paranaense, em uma região que abriga o maior remanescente contínuo de Mata Atlântica do país.

 

Sua importância biológica levou o Ministério do Meio Ambiente (MMA) a criar, em 1996, o Mosaico de Áreas Protegidas do Lagamar, que prevê a gestão integrada de suas unidades de conservação.

 

Desse modo, a chamada pública contribui para a complementação dos esforços públicos de conservação do bioma mais ameaçado do país, em uma região próxima ao maior aglomerado urbano brasileiro e com elevada importância para a biodiversidade. Em São Paulo, 19 unidades de conservação estão entre as que serão priorizadas na chamada pública, enquanto no Paraná são 26, incluindo a Reserva Natural Salto Morato, Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) mantida pela Fundação Grupo Boticário.

 

Incentivo à pesquisa

 

O aporte financeiro de R$ 5 milhões foi viabilizado a partir de uma contrapartida de 50% de cada uma das instituições. A Fundação Grupo Boticário é uma das principais apoiadoras de projetos de conservação da natureza, ligada à iniciativa privada, do país – já tendo apoiado 1.377 projetos em todo o Brasil.

 

A Fapesp, criada em 1962, é uma das principais agências brasileiras de fomento à pesquisa. Mantida pela transferência de 1% das receitas tributárias do estado de São Paulo, em 2013 a instituição investiu R$ 1,1 bilhão para o apoio a projetos de pesquisa.

 

Para o diretor científico da FAPESP, Carlos Henrique de Brito Cruz, a iniciativa conjunta contribui para tornar efetiva a aplicação de resultados. “Com essa chamada pública, pretendemos somar esforços para intensificar pesquisas em biodiversidade e clima, buscando projetos de alto impacto científico. Aliando o financiamento estatal ao privado, podemos intensificar o apoio a pesquisas de alta qualidade”, afirma Brito.

 

A diretora executiva da Fundação Grupo Boticário, Malu Nunes explica que a chamada pública contribuirá para ampliar os impactos das ações de conservação na região, relacionadas às mudanças climáticas. “Nosso objetivo é que os projetos apoiados gerem conhecimentos que subsidiem ações e estratégias de adaptação às mudanças climáticas na região do Lagamar, garantindo resultados efetivos na proteção de espécies e ecossistemas”, afirma.

 

As pesquisas apoiadas contribuirão para o que o país conheça mais a biodiversidade do Lagamar, além de indicarem importantes ferramentas e estratégias para a proteção de espécies e áreas naturais, no que se refere à questão climática. As inscrições para a chamada pública podem ser feitas até 11 de abril por meio do site www.fapesp.br.

 

Sobre a FAPESP

 

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, é uma das principais agências brasileiras de fomento à pesquisa. Criada em 1962, tem como missão apoiar o avanço do conhecimento, a infraestrutura de pesquisa e a pesquisa com vista a aplicações, por meio de concessão de bolsas de estudo, no país e no exterior, e de auxílios a projetos de pesquisa em todas as áreas do conhecimento.

 

A FAPESP é mantida pela transferência de 1% das receitas tributárias do Estado de São Paulo. Em 2013, o dispêndio da Fundação foi de R$ 1,1 bilhão para o apoio a projetos de pesquisa. Aproximadamente um terço de seu desembolso anual é destinado para a formação de pesquisadores por meio de bolsas. Mais de 50% são aplicados na pesquisa acadêmica, e 10% são investidos em pesquisas voltadas para a aplicação, em pequenas empresas ou em parcerias entre universidade e empresas, também para subsidiar a formulação de políticas públicas. Para mais informações, visite o site www.fapesp.br.

 

Sobre a Fundação Grupo Boticário

 

A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é promover e realizar ações de conservação da natureza. Criada em 1990 por iniciativa do fundador de O Boticário, Miguel Krigsner, a atuação da Fundação Grupo Boticário é nacional e suas ações incluem proteção de áreas naturais, apoio a projetos de outras instituições e disseminação de conhecimento.

 

Desde a sua criação, a Fundação Grupo Boticário já apoiou 1.377 projetos de 472 instituições em todo o Brasil. A instituição mantém duas reservas naturais, a Reserva Natural Salto Morato, na Mata Atlântica; e a Reserva Natural Serra do Tombador, no Cerrado, os dois biomas mais ameaçados do país. Outra iniciativa é um projeto pioneiro de pagamento por serviços ambientais em regiões de manancial, o Oásis.

 

Mais informações:

 

samuel@fapesp.br |marialuiza@nqm.com.br