Notícia

JC e-mail

Dupla inédita e misteriosa

Publicado em 04 agosto 2006

Por Agência FAPESP, 3/8

Objetos de massa planetária conhecidos como "Planemos" voltam a surpreender. Pela primeira vez na história, os astrônomos da Terra conseguiram identificar um sistema duplo desses corpos celestes

Apesar de terem massa para serem considerados planetas, eles não orbitam nenhuma estrela. E também não apresentam energia suficiente para brilharem sozinhos.
Os objetos de massa planetária chamados de Planemos não podem ser considerados nem estrelas tradicionais e muito menos planetas verdadeiros.
Mas esses astros livres apresentam discos de poeira em seu redor que poderiam gerar luas. Ou seja, eles possuem condições de gerar seus próprios sistemas planetários.
Não bastassem todas as incógnitas já conhecidas, o trabalho publicado pela revista Science na edição desta sexta-feira (4) ajuda a piorar a confusão na mente dos astrônomos que se dedicam ao tema.
Pela primeira vez na história, os cientistas conseguiram identificar um sistema duplo de Planemos que, tudo indica, gira em círculos, um em relação ao outro.
Os objetos identificados com a ajuda do European Southern Observatory (ESO), localizado no Chile, apresentam, cada um, massa equivalente a 1% do peso do Sol.
Formada há milhões de anos, e muito provavelmente ao mesmo tempo, a dupla de Planemos está localizada a 400 anos-luz da Terra. A distância entre os dois objetos é seis vezes maior que a distância que separa a Terra do planeta Plutão.
A descoberta, classificada como surpreendente pelo astronômo Ray Jayawardhana, da Universidade de Toronto, no Canadá, e primeiro autor do trabalho, vai ajudar os pesquisadores a entenderem melhor como esses corpos celestes se formam.
"Essas recentes descobertas estão revelando uma espantosa diversidade de mundos que existem lá fora", disse o pesquisador em comunicado do ESO.
O artigo Discovery of a young planetary mass binary pode ser lido por assinantes em http://www.sciencemag.org.