Notícia

Folha da Região (Araçatuba, SP)

Duas empresas araçatubenses ganham recursos para projetos

Publicado em 04 outubro 2009

Dois projetos inovadores que devem chegar ao mercado no próximo ano serão desenvolvidos por empresas de Araçatuba. Um deles, um software para celular, promete revolucionar a área de tecnologia da informação.

O segundo projeto irá agregar valor ao melhoramento genético de bovinos. Isso será possível porque duas das três empresas de Araçatuba com projetos inovadores, classificadas para a segunda fase do Prime (Programa Primeira Empresa Inovadora), promovido pela Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), agência ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, conseguiram passar para a terceira fase do programa que trata do aporte de recursos para investir em projetos inovadores.

Cada empresa receberá R$ 120 mil a fundo perdido para colocar os projetos em prática. Posteriormente, terão direito a um financiamento no valor de RS 120 mil para quitação em até cem vezes com taxa de juro zero.

Uma terceira empresa de Araçatuba, "a Eros Ata Softwares, foi classificada para a segunda fase, mas devido a um erro na documentação enviada para o programa foi desclassificada.

O projeto na área de tecnologia da informação é de autoria da empresa Focus Sistemas, que tem como sócios Sérgio Henrique Ferraz de Souza, 28 anos, e Luís Fernando Carvalho da Silva, 27 anos.

Constituída em abril deste ano, a empresa já acumula experiência em desenvolvimento de softwares utilizados em empresas de fomento mercantil, factoring, jurídicas, automação comercial e biotecnologia, e agora está desenvolvendo um software para portabilidade da agenda numérica, agenda de compromissos e formação de rede de amigos no aparelho celular.

Com o sistema, que terá um custo simbólico para o usuário, será possível acessar todos os dados gravados no telefone de qualquer aparelho celular ou equipamento que tenha conexão com a internet. "Todo usuário terá um login e senha para acessar o sistema de qualquer lugar. Pelo sistema, também será possível mandar mensagens gratuitas para todos os contatos da rede", adianta Silva. O desenvolvimento do software terá início apenas em janeiro.

Parcerias

O projeto da Eros Ata Softwares, empresa criada há um ano pelos irmãos Fernando e Gustavo Dib Gonçalves, de 25 e 29 anos, também deve sair do papel. Embora não tenham conseguido os recursos, por um erro na contabilidade, os irmãos garantem que não desistirão. "Estamos aceitando parcerias com faculdades para dar sequência no projeto que é voltado para os cursos de Odontologia, Medicina Veterinária e Medicina", explicou Fernando. A empresa trabalha com desenvolvimento de software para educação e treinamento profissional.

O Prime, que está em sua primeira edição, é operado em São Paulo por três incubadoras âncoras: São Paulo, Campinas e Ribeirão Preto. Araçatuba participou em parceria com Ribeirão Preto. Daqui foram inscritos três projetos, dos quais dois foram aprovados e um ficou bem colocado. Para a coordenadora de Araçatuba, Joene Rodrigues Pereira, o resultado é extremamente positivo e pode incentivar outras empresas da cidade e da região.

Em Araçatuba, o programa incubadora é desenvolvido por meio da parceria entre a Prefeitura, Governo do Estado, Sebrae e Acia (Associação Comercial e Industrial de Araçatuba), atual gestora do programa.

Melhoramento genético animal é o foco de empresa de biotecnologia

Com foco em projetos de melhoramento genético animal, a Deoxi Biotecnologia deve colocar no mercado um projeto de análise das características genéticas de bovinos a partir da extração do DNA de embriões. Hoje, tais características podem ser analisadas apenas depois que o animal nasce, utilizando o pelo ou o sangue, por exemplo.

Com o fomento do Prime (Programa Primeira Empresa Inovadora) e recursos da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), o projeto deve ganhar o mercado já no próximo ano.

Segundo Rodrigo Vitorio Alonso, 28 anos, um dos diretores da empresa, com a análise de embriões, os produtores poderão selecionar apenas animais com características de interesse.

"Essa tecnologia traz grande vantagem no mercado de animais de elite, principalmente na venda de prenhezes que terá valor agregado", explica. Hoje, quando o produtor compra um embrião, consegue conhecer apenas a paternidade e a sexagem feita por ultrassom.

Dentre as características que podem ser-analisadas pelo DNA dos embriões podem ser destacadas a capacidade para ganho de peso, a qualidade da carne, a produção e qualidade do leite, a precocidade sexual e a habilidade materna.

Alonso trabalha no estudo de embriões desde 2001. Formado em Medicina Veterinária pela Unesp de Araçatuba, ele se especializou em biópsia de embrião na Alemanha e hoje faz doutorado em reprodução animal na USP (Universidade de São Paulo). A empresa de biotecnologia tem como sócia Francine Campagnari Guilhen," 33 anos, bióloga e farmacêutica.

O projeto da Deoxi deve ser lançado comercialmente no Congresso da Sociedade Brasileira de Tecnologia de Embriões e Sociedade Internacional de Transferência de Embriões, em janeiro de 2010, em Córdoba, na Argentina.