Notícia

Esteta

Doutoranda da USP recebe Prêmio Pemberton

Publicado em 16 setembro 2015

Carla da Silva Batista, aluna de doutorado da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFE/USP), recebeu, no dia 25 de agosto de 2015, o primeiro lugar do Prêmio Pemberton, na categoria Pesquisa Aplicada. A premiação está em sua quarta edição e é promovida pela Coca-Cola.

 

Batista estudou, com bolsa da FAPESP, os efeitos do exercício físico nos sintomas de pacientes com doença de Parkinson.

 

O trabalho de Batista verificou que a utilização de acessórios de instabilidade – como blocos de EVA, balance disc, bosu e physioball – durante treinamentos de força é capaz de minimizar declínios motores, cognitivos e neuromusculares.

 

Para chegar a tal resultado, Batista trabalhou com três grupos de voluntários: um grupo controle, que não recebeu treinamentos; um grupo que treinou segundo métodos tradicionais; e um grupo que fez exercícios de força usando o princípio da instabilidade.

 

O trabalho premiado, intitulado “Treinamento de força com instabilidade melhora os sintomas clínicos da doença de Parkinson e promove adaptações neuromusculares superiores ao treinamento de força aproximando parkinsonianos de idosos saudáveis: um estudo controlado e randomizado”, pode ser lido na íntegra em www.premiopemberton.com.br/CarladaSilvaBatista.

 

O primeiro colocado na categoria Pesquisa Básica foi Rodolfo Marinho, da Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com o trabalho “Treinamento físico previne apoptose de neurônios hipotalâmicos anorexigênicos e restaura o controle da fome em camundongos obesos”.

 

Para saber mais sobre a premiação, acesse www.premiopemberton.com.br.

 

Agência FAPESP